fbpx
Politica Regional
Justiça eleitoral rejeita embargos declaratórios e mantém sentença que condena Auricchio e Vidoski

Na última sexta-feira (03), o Juiz Eleitoral, Dr. Pedro Correa Liao, publicou um despacho que rejeitou os

10/05/2019 20h10

Na última sexta-feira (03), o Juiz Eleitoral, Dr. Pedro Correa Liao, publicou um despacho que rejeitou os embargos declaratórios e manteve a sentença do Prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr, e de seu vice, Beto Vidoski.


Auricchio e Vidoski tiveram seus diplomas cassados (consequente perda dos mandatos) na justiça eleitoral, e terão que devolver o valor de R$350.000,00 recebidos indevidamente nas eleições de 2016. Eles foram condenados por causa da investigação de doação ilegal de R$ 350 mil que estava no nome de Maria Alzira Garcia Correa Abrantes (morta em 2017).
O Juiz Dr. Pedro Liao disse: “Não se trata, pois, de mera suspeita ou desconfiança, mas sim efetiva demonstração de existência de doação acima da capacidade contributiva eleitoral, o que implica, inexoravelmente, na cassação do diploma, o que se mostra justo, adequado e proporcional à fraude praticada”.


Ambos continuam em seus respectivos cargos, pois ainda possui recurso na segunda instância no TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo).
Caso a decisão seja mantida na 2ª instância e Auriccio e Vidoski percam seus cargos ainda em 2019, o Presidente da Câmara Municipal de São Caetano do Sul, Pio Mielo (MDB), assume a Prefeitura e terá 90 dias para convocar novas eleições, mas caso a decisão seja concluída apenas ano que vem (2020), Pio assume e fica no cargo até o final de 2020.

Ajude o MBL Grande ABC, faça sua doação pela plataforma http://mbl.org.br/ajudeseunucleo