fbpx
Politica Regional
Integrante do MBL é agredido por sindicalistas em Santo André

Agressão ocorreu após integrante questionar o discurso de um dos sindicalistas sobre a Reforma da Previdência

29/04/2019 13h33

SANTO ANDRÉ – Na manhã da última sexta-feira (26), o integrante do MBL de Santo André Rodrigo Manoel, foi agredido por 3 sindicalistas que protestavam contra a Reforma da Previdência em frente à estação de trem Prefeito Celso Daniel da linha 10-Turquesa.

Rodrigo nos contou que quando se aproximava da entrada da estação, foi abordado por uma sindicalista que entregava panfletos do 1º de maio e foi convidado a participar de um abaixo-assinado organizado pelas centrais sindicais. A sindicalista, sem saber o posicionamento do integrante do MBL sobre a Reforma – tendo em vista que ela não perguntou – ficou furiosa porque no lugar do nome e cpf, Rodrigo assinou com seu pseudônimo – ‘Eu apoio a Reforma da Previdência’ – e rubricou. Enquanto ele assinava, outro sindicalista falava ao megafone que “com esta Reforma, trabalhar-se-á 20 anos a mais para se aposentar”, uma mentira escabrosa que o deixou perplexo.

Em contato com este blog, Rodrigo relatou o fato: “depois que a sindicalista leu o que escrevi, ela chamou outros 2 sindicalistas que vieram pra cima de mim me empurrando e me chamando de burguês fascista. Eu disse a ele que se fosse verdade o que ele dizia no megafone, eu seria contra a Reforma da Previdência também. Mas como estava mentindo para àqueles que passavam pelo local, desinformando a população, eu era favorável. Foi então que outro sindicalista apareceu do nada e começou a me empurrar sentido a entrada da estação e dar tapas na minha cabeça. Eu tentei tirar o celular do bolso da calça para filmar, mas neste momento os três me cercaram e continuaram a me dar tapas na cabeça e me xingar daqueles nome de sempre. O que mais irritou eles, foi quando eu disse que o governo que eles apoiaram durante 13 anos sabia que a Reforma era necessária pois prejudicaria o Brasil num futuro próximo se não o fizessem, mas estavam preocupados em assaltar os cofres públicos bem como fizeram com a Petrobrás. Eles se irritaram também quando disse que a Reforma Trabalhista foi um marco positivo para o Brasil uma vez que acabara com a obrigatoriedade da contribuição sindical do trabalhador para sustentar sindicatos que não os representava”.

Por fim, após discutir e ser agredido, Rodrigo conseguiu pegar o trem e seguir para seu trabalho. E a democracia vermelha continua a mesma de sempre.

AGRESSÕES E AMEAÇAS TÊM SIDO UMA CONSTANTE AO MBL

O Movimento Brasil Livre através de seus membros, simpatizantes, deputados, vereadores e senadores vem sofrendo uma série de ameaças e agressões (até tentativa de assassinato, como ocorreu com o vereador Fernando Holiday) por defenderem suas ideias, sendo o Liberalismo seu cerne.

Coordenador MBL Santo André / MBL Grande ABC / MBL Nacional, Defensor da liberdade econômica, ativista politico e Blogueiro.