fbpx
Politica Regional
Caso Elian: Câmara cogita suspender trâmites da Comissão de ética até julgamento da ação penal

O Presidente da Comissão de ética, o vereador Fábio Lopes, justifica que a casa teve acesso negado

06/05/2019 11h13

O Presidente da Comissão de ética, o vereador Fábio Lopes, justifica que a casa teve acesso negado à integralidade do processo, que corre em segredo de justiça. Também alega que a casa está incapaz de ouvi-la uma vez que a vereadora está proibida de frequentar o prédio da Câmara por determinação judicial.

O Movimento Brasil Livre foi um dos grupos que pediu a instituição da Comissão de ética para averiguar as fortes acusações que recaem sobre a Vereadora. Acusações apontadas pela operação Barbour da Policia Federal. Elian é acusada de envolvimento em esquema de aposentadorias fraudulentas em conjunto com agentes do INSS de Diadema. Há indícios de que as tratativas se davam dentro do próprio gabinete da vereadora afastada Elian Santana.

A Vereadora que chegou a ser presa durante os desdobramentos da operação Barbour, segue afastada de suas funções legislativas até que o caso seja julgado.

Márcio Colombo, MBL, diz que a comissão tem outras maneiras de ouvi-la e dar andamentos aos trabalhos, apesar da proibição judicial que a afasta do prédio, segundo ele podem agendar uma sabatina num prédio externo, ou mesmo recorrer a soluções tecnológicas como video conferências para que a Vereadora Elian Santana possa colocar seus pontos sem infringir a justiça.

Ajude o MBL Grande ABC, colabore pela plataforma http://mbl.org.br/ajudeseunucleo

Correspondente do MBL News no ABC.