Goiás
Goiás tem a melhor nota dos 4 Estados na fila do Regime de Recuperação Fiscal

Avaliação ainda segue no vermelho mas supera Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

15/08/2019 17h19


O Estado de Goiás manteve nota C em avaliação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Ministério da Economia, e mostrou pouca variação nos índices de capacidade de pagamento de dívidas (Capag) de 2017 para 2018. Goiás segue no vermelho mas em situação menos grave que os outros três Estados que também pediram adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul têm nota D.

Segundo o Jornal O Popular, na metodologia da STN, que ignora “maquiagem” nos gastos com funcionalismo, Goiás comprometeu 65,52% da receita corrente líquida com funcionários no ano passado, sendo que a Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece limite de 60%. Já os dados de restos a pagar – que representam o estoque de despesas realizadas e não pagas – apontam salto de R$ 674 milhões para R$ 855 milhões em Goiás de 2017 para 2018.

A liquidez variou de 1.820% positivos para 1.021% negativos. “No boletim de 2018, o número era fortemente positivo porque o Estado tinha um volume muito elevado de obrigações financeiras; no boletim deste ano, o número fica negativo porque a disponibilidade de caixa dele está negativa”, explicou a STN, refletindo uma situação de estresse financeiro.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.