fbpx
Capital » São Paulo
Zé Turin

Conheça seu Vereador

25/10/2019 15h16 - Por Jair Lorenzetti Filho

Vereador Zé Turin (Foto:Jornal Paraisópolis )

O Vereador José Arivaldo Rodrigues, nasceu em 27/09/1968 na cidade de Santa Maria Do Salto – MG. Seu apelido popular é “Zé do Açougue”, como é chamado por seus eleitores, provavelmente se deve ao mesmo ser empresário do ramo de açougues, o Grupo Turin de Santo Amaro (Zona Sul). Assim o nome eleitoral do vereador é uma junção de seu apelido junto aos eleitores com o nome do seu negócio pessoal. Zé Turin chegou a São Paulo aos 11 anos de idade. Aos 15 anos, se efetivou no ramo de açougues como operador de caixa, depois se formou como contador, estudou administração de empresas e trabalhou como caixa no Banco Bradesco, sendo promovido à subchefe de serviços. Ainda bancário, aceitou o convite de um amigo para gerenciar a casa de carnes MG em Santo Amaro. Depois foi convidado a construir uma nova empresa de carnes. Anos depois criou sua empresa, o grupo Turin. Estas informações foram colhidas de um jornal do bairro de Paraisópolis em uma matéria sobre o vereador.

O projeto político do vereador se deu na região de Paraisópolis, no tradicional modelo de apoiar creches, entidades religiosas, hospitais e ONGs. Também ligado no projeto “Paraisópolis Sem Fome” bem como no projeto “Chance em Paraisópolis”.

Entidade ligada ao Vereador (Foto: Jair Lorenzetti Filho)

O vereador era filiado ao PHS (Partido Humanista da Solidariedade), que foi um partido político de centro-direita brasileiro. Em 19 de setembro de 2019, o TSE aprovou sua incorporação com o Podemos. Foi eleito vereador para seu primeiro mandato em 2016. E tentou, sem sucesso, ser deputado estadual também pelo PHS em 2018.

Procurando informações sobre o Grupo Turin, encontramos apenas uma referência no Google mesmo, mas o link estava fora do ar. Ademais, achamos apenas referências a razão social da empresa, Turin Comércio e Entreposto de Carnes Ltda, localizada na Loja 1 de um conjunto em Santo Amaro, com capital social de R$100 mil. Também 31 processos indexados no site Escavador e uma referência à mesma empresa, com fotos, no site Causa Operaria com o título “Para o Frigorífico Turin esfolar o trabalhador é a regra”. (https://www.causaoperaria.org.br/acervo/blog/2017/12/07/para-o-frigorifico-turin-esfolar-o-trabalhador-e-regra/#.XanHCuhKg_5).

Sobre o proprietário, o vereador Zé Turin, segundo o Estadão Política, Eleições 2018: (https://politica.estadao.com.br/eleicoes/2018/candidatos/sp/deputado-estadual/ze-turin,31800), possui Ensino Médio Completo e um patrimônio declarado de R$ 741.416,00, concentrado em três imóveis.

Sobre o mandato do mesmo, encontramos algumas passagens um tanto quanto polêmicas. Na Veja São Paulo de 14/12/2018 a matéria com o título “Polícia investiga vereador por suposta ligação com crime organizado”, segundo o texto um Inquérito apontava que Zé Turin, do PHS (na época), teria mandado grupo armado ameaçar líderes comunitários de Paraisópolis que denunciaram a gestora do CEU, sua aliada. No The Intercept Brasil, em 22/11/2018, a matéria com o título “VEREADOR DE SÃO PAULO GANHA R$ 19 MIL, MAS OBRIGA FUNCIONÁRIO A EMPRESTAR DINHEIRO PARA ELE”, aponta que JOSÉ ARIVALDO RODRIGUES, o Zé Turin, como é conhecido, foi eleito vereador de São Paulo em 2016 pelo PHS, o Partido Humanista da Solidariedade. De lá para cá, Turin juntou R$ 415,8 mil em salários referentes aos 22 meses de trabalho prestado como parlamentar. Em São Paulo, o salário de um vereador é de R$ 18,9 mil, um valor vinte vezes maior que o do salário mínimo (R$ 937). Mas, ao que parece, o dinheiro não foi suficiente para que o vereador consiga sobreviver. Um funcionário do gabinete de Turin, que não quis se identificar, contou ao Intercept que foi coagido pelo parlamentar a emprestar dinheiro para ele. Ele não é o único. E a matéria prossegue: (https://theintercept.com/2018/11/21/vereador-ze-turin-emprestimo/).

E as polêmicas do ilustre vereador não cabem apenas no parágrafo anterior. Na Folha de São Paulo em 20/10/2016, caderno Cotidiano, a matéria com o Título “Câmara de SP terá ‘vereador do açougue’ anônimo e na mira do IPTU”, diz que o empresário era alvo de nove processos movidos junto a Prefeitura Municipal de São Paulo com IPTU atrasado. Também era cobrado judicialmente por um empréstimo bancário de R$ 1,1 milhão. Foi condenado pela justiça a dois anos e quatro meses de reclusão por declaração falsa às autoridades fazendárias.

Em uma matéria do Estadão em 29/07/2017, com o título “O racha no Legislativo paulistano que começou na churrascaria”, consta que tudo começou com uma queixa coletiva de um certo ostracismo político no Legislativo paulistano, mas foi o bife capitão do Zé Turin (PHS) que reuniu o grupo pela primeira vez ao redor de uma mesa, há dois meses, em uma churrascaria na Aclimação, zona sul da capital. Dono de rede de açougues, o vereador de primeiro mandato levou o corte mais nobre de carne – que inclui picanha, baby beef, filé mignon e maminha – para saciar o duplo apetite dos colegas de Câmara insatisfeitos.

E finalizando outra polêmica do nosso vereador, no Blog da Cidadania em 22/11/2018, a matéria com o título “Ganhando quase R$20 mil, vereador de SP toma dinheiro dos funcionários”, remete novamente a mesma prática já apontada: “Ele pedia ajuda porque dizia que estava endividado. E a gente ajudava porque era nosso chefe. Mas ele nunca pagou de volta”, afirmou o servidor, que ocupa um cargo de confiança no gabinete e ganha cinco vezes menos do que o vereador (cerca de R$ 3,5 mil). No funcionalismo público, há dois tipos de servidores: os que ocupam cargos de confiança, ou seja, que não precisam prestar concurso, e os de carreira, que estão lá porque foram aprovados no concurso. A diferença de um para outro é que, enquanto funcionários de carreira têm estabilidade, os contratados em regime de comissão podem ser demitidos a qualquer momento. O funcionário que emprestou o dinheiro para o vereador, portanto, poderia perder o emprego se negasse o pedido do chefe. O funcionário transferiu todo o dinheiro que emprestou para a conta de Ari de Moura Rodrigues, filho de Zé Turin. Segundo o servidor, essa foi uma orientação passada pelo próprio parlamentar. A reportagem teve acesso a todos os comprovantes de empréstimos feitos pelo servidor e também das transferências bancárias realizadas por ele para a conta de Ari de Moura Rodrigues. Os empréstimos motivaram um inquérito do Ministério Público de São Paulo contra Zé Turin, aberto em 22 de junho de 2018.

Depois de conhecer algumas polêmicas do vereador Zé Turin, vamos conhecer um pouco sobre as atividades do mesmo na Câmara Municipal.

Cargos:

  • Membro na Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa.
  • Líder de Bancada do PHS.
  • Membro na Comissão de Educação, Cultura e Esportes.
  • Líder de Bancada do PPS-PHS (bloco).
  • Membro na Comissão de Administração Pública.

Alguns Projetos:

Projeto de Lei nº 282/2019.
ALTERA A LEI Nº 14.485 DE 19 DE JULHO DE 2007, PARA INCLUIR O DESFILE DO BLOCO DO LITRAÇO DO JARDIM SÃO LUIZ, A SER REALIZADA ANUALMENTE NA SEGUNDA FEIRA DE CARNAVAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
Apresentado em 23/04/2019.

Projeto de Lei nº 274/2018.
DISPÕE SOBRE A PROIBIÇÃO DE VENDA DE SACOLAS PLÁSTICAS PARA CONSUMIDORES PARA O ACONDICIONAMENTO E TRANSPORTE DE MERCADORIAS ADQUIRIDAS EM ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO.
Apresentado em 06/06/2018.

Projeto de Lei nº 272/2018.
DISPÕE SOBRE A PROIBIÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE PANFLETOS, JORNAIS PUBLICITÁRIOS, CARTAZES E CONGÊNERES NAS VIAS PÚBLICAS E LOGRADOUROS, BEM COMO, COLOCAÇÃO NA PARTE EXTERNA DE VEÍCULOS ESTACIONADOS OU QUE ESTEJAM TRANSITANDO PELAS VIAS PÚBLICAS, AFIXAÇÃO EM POSTES, ÁRVORES, TAPUMES, MUROS, PAREDES E SIMILARES NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO.
Apresentado em 06/06/2018.

Projeto de Lei nº 648/2017 (aprovado).
ALTERA A LEI Nº 14.485, DE 19 DE JULHO DE 2007, PARA INCLUIR NO CALENDÁRIO OFICIAL DE EVENTOS O “SANTO AMARO COUNTRY FEST”, A SER REALIZADO ANUALMENTE NA SEGUNDA QUINZENA DE SETEMBRO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Projeto de Lei nº 249/2017.
DISPÕE SOBRE A INSPEÇÃO E A FISCALIZAÇÃO DE AÇOUGUES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES, POR EQUIPE ESPECIALIZADA, CHEFIADA POR MÉDICO VETERINÁRIO NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
Apresentado em 18/04/2017.

Projeto de Lei nº 212/2017.
INSTITUI O PROGRAMA CULTURAL DANÇA DE SALÃO PARA TODOS, E FIXA OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
Apresentado em 05/04/2017.

Projeto de Lei nº 158/2017 (aprovado).
ALTERA A LEI Nº 14.485, DE 19 DE JULHO DE 2007, PARA INCLUIR O DIA DA ROMARIA DOS CAVALEIROS DO SENHOR BOM JESUS DE PIRAPORA DE SANTO AMARO, E SER REALIZADO ANUALMENTE NO ÚLTIMO SÁBADO DO MÊS DE MAIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
Apresentado em 21/03/2017.

Projeto de Lei nº 109/2017.
ISENTA DO PAGAMENTO DE TARIFAS NO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO MUNICIPAL DE ÔNIBUS E METRÔ OS ESCOTEIROS E BANDEIRANTES, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
Apresentado em 22/02/2017.

Ao terminar essa breve apresentação do vereador, lembrei-me do ditado popular: “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.

Revisores: Rodrigo Vieira, Gabriel Castro e Cynthia Capucho.