Bahia
Universidade é interditada após abrir portas e contrariar decreto da prefeitura de Salvador

Pelo decreto da prefeitura, escolas municipais e particulares, cinemas e academias devem paralisar as atividades e fechar as portas pelos próximos 15 dias

18/03/2020 16h53

A Universidade Salvador (UNIFACS), localizada no bairro do Stiep, em Salvador, foi interditada na tarde desta quarta-feira (18) por uma força-tarefa montada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur). Como plano de ação contra o coronavírus, a prefeitura decretou na última segunda-feira (16) a suspensão das atividades de estabelecimentos como instituições de ensino, cinemas e academias. No entanto, a UNIFACS abriu as portas e, apesar de não oferecer aulas, atendeu estudantes, o que formou uma fila na unidade.
Esse fluxo de agendamento estava provocando aglomeração, o que não podemos permitir. Unidades de ensino podem realizar atividades internas, desde que não envolva público externo e não gere aglomerações”, explicou o diretor de Fiscalização da Sedur, Átila Brandão Júnior.
Por meio de nota, a UNIFACS afirmou que atendeu ao decreto da prefeitura e suspendeu aulas presenciais em todas as unidades. A universidade informou também que adotou medidas para garantir a segurança dos estudantes que foram atendidos nesta quarta-feira.

“Importante salientar que diversas iniciativas foram adotadas para garantir o atendimento do aluno neste período de suspensão de aulas presenciais, tais como intensificação da limpeza de banheiros, pisos, corrimãos e maçanetas, atendimentos somente por agendamento, distância mínima entre as pessoas, disponibilização álcool em gel 70% nas áreas comuns dos prédios, escalas de revezamento e avaliação de antecipação de férias, bem como uso de banco de horas, home office para colaboradores com recursos e definidos pelo gestor imediato, de conscientização sobre etiqueta respiratória e cuidados preventivos básicos, tudo de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde”, diz o texto.

Pelo decreto da prefeitura, escolas municipais e particulares, cinemas e academias devem paralisar as atividades e fechar as portas pelos próximos 15 dias. O prazo pode ser prorrogado.

Fonte: G1 Notícias