Educação » Opinião » São Paulo
Universidade e desigualdade

O ensino superior público gratuito é um mecanismo de transferência de dinheiro do mais pobre para o mais rico.

31/01/2020 15h01 - Por Lucas França

O ensino, o ato de transmitir conhecimento, tem sido descrito como o principal recurso para o desenvolvimento das nações em diversas áreas. Portanto, o ensino não pode ser refém de uma determinada classe social, mas sim instruir o estudante desconsiderando a sua classe original.

(Fonte: https://mercadopopular.org)

Porém, quando observamos o atual cenário brasileiro, percebemos que as universidades públicas gratuitas beneficiam determinados grupos em detrimento de outros. As pesquisas do Instituto Mercado Popular indicam que pessoas com a renda familiar per capita (mensal) de 250 reais tem uma chance igual a 2% de entrarem nessas universidades. Porém, quem tem a renda per capita superior a 20 mil reais, tem a chance de 40%. Ou seja, a representação da classe alta nas universidades públicas é o dobro daquela observada na sociedade como um todo.

De acordo com a Organização para a Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil gasta anualmente US$ 11.261 mil por estudante do ensino superior. E quem paga essa conta? Sim, mais uma vez a conta cai no colo de quem menos tem recursos financeiros, em outros termos, o nosso sistema de ensino superior público é um mecanismo de transferência do dinheiro do mais pobre para o mais rico.

Enquanto isso no ensino fundamental, fase mais importante na vida de uma criança, o Brasil gasta anualmente US$ 3,8 mil por aluno. O Brasil investe quatro vezes mais no ensino superior ao mesmo tempo que, conforme o IBGE, 52% dos brasileiros de 25 anos ou mais não concluíram a educação básica.

Por último, a cobrança de mensalidade dos abastados nas universidades públicas não é um ataque ao ensino, mas sim um dos projetos para a diminuição da desigualdade social. O dinheiro poupado pelo MEC permitiria mais investimento na educação básica que, por sua vez, contribuiria por um país mais justo.

Fontes:
https://mercadopopular.org/nota-de-politicas-publicas/como-as-universidades-publicas-no-brasil-perpetuam-a-desigualdade-de-renda-fatos-dados-e-solucoes/

https://educacao.uol.com.br/noticias/bbc/2017/09/12/estudo-brasil-tem-disparidade-entre-gastos-na-educacao-basica-e-superior.htm

https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2019/06/19/menos-da-metade-dos-brasileiros-acima-dos-25-anos-concluiu-ensino-basico.ghtml