fbpx
GRANDE ABC
Secretário Estadual participa de reunião com prefeitos do ABC

Alexandre Baldy esteve no Consórcio Intermunicipal do ABC para tratar da construção do BRT

18/09/2019 10h05

GRANDE ABC – O Secretário Estadual responsável pela pasta de Transportes Metropolitanos de São Paulo Alexandre Baldy, reuni-se com os prefeitos do Grande ABC para tratar de assuntos inerentes a mobilidade urbana.

foto: Adamo Bazani

O encontro foi pautado pela deliberação da construção do Bus Rapid Transit – BRT, (Transporte Rápido por Ônibus) que conectará o ABC a São Paulo (Sacomã) ao longo de suas 23 estações. Os detalhes do traçado serão definidos pelo Governo do Estado, bem como a modelagem da concessão. 

Com valor estimado em R$ 860 milhões, Baldy informou que até dezembro deste ano o projeto deverá ser finalizado (a expectativa era da apresentação detalhada do projeto nesta reunião, mas não ocorreu) e a previsão de início das obras deve ocorrer no primeiro semestre de 2020.

A previsão do secretário e dos prefeitos da região sobre o término das obras gira em torno de dois anos, a partir de seu início.

O prefeito de Santo André e presidente do Consórcio Paulo Serra, disse que o órgão público regional formou uma comissão para acompanhar o desenvolvimento do projeto BRT e das outras ações de mobilidade sugeridas pela Secretaria de Transportes Metropolitanos para o Grande ABC: a modernização da linha 10-Turquesa da CPTM (já iniciada com a substituição dos trens por modelos mais novos) e a construção da linha 20 do Metrô.

A comissão terá dois representantes de cada uma das sete cidades do ABC, que devem ser os respectivos secretários de transportes e os secretário adjunto de cada município.

Prefeitos e parlamentares da região, como deputados estaduais e federais, além de vereadores, também terão contato com os membros desta comissão, segundo Paulo Serra.

DO MONOTRILHO À ESCOLHA DO BRT

A principal razão da troca de modal foi o alto custo de implantação do monotrilho diante da capacidade limitada de transportes na visão do Governo: quase R$ 6 bilhões para uma demanda diária de 340 mil passageiros. Como o monotrilho do ABC teria uma extensão de 15,7 km entre São Bernardo do Campo e a estação Tamanduateí, na capital paulista, o quilômetro de monotrilho custaria em torno de R$ 380 milhões, praticamente a metade do custo por quilômetro de um metrô de alta capacidade, mas transportando uma demanda de três a quatro vezes menor.

Somente com desapropriações, o monotrilho necessitaria em torno de R$ 600 milhões dos cofres públicos e este foi o principal entrave ao longo da expectativa em relação ao modal de média capacidade, que consiste em trens leves com pneus que circulam em elevados de concreto. O monotrilho deveria ter sido concluído entre os anos de 2014 e 2015.

O Governo do Estado não conseguiu aval da Cofiex, do antigo Ministério da Fazenda (hoje Ministério da Economia), para captar no mercado recursos para o financiamento destas desapropriações necessárias para a colocação das vigas dos elevados do monotrilho e das estações.

ENTENDENDO O CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO ABC

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC reúne os municípios do Grande ABC para o planejamento, a articulação e definição de ações de caráter regional.

A entidade foi fundada em 1990 por Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Desde 8 de fevereiro de 2010, a entidade passou a ser o primeiro consórcio multissetorial de direito público e natureza autárquica do país. Nesta data, os prefeitos dos sete municípios instalaram a Assembleia Geral nos moldes do Contrato de Consórcio Público.

O Consórcio foi transformado em órgão público para se adequar à Lei nº 11.107 de 2005, pela qual a União somente celebra convênios com consórcios públicos constituídos sob a forma de associação pública ou que para essa forma tenham se convertido. A mudança foi precedida por um Protocolo de Intenções assinado por todos os chefes de Executivo e aprovado pelas sete Câmaras Municipais.

(fontes: Diário do Transporte, Consórcio Intermunicipal)

A imagem pode conter: texto
“Não Vai Ter Golpe – O Nascimento de Um Brasil Livre”
EVENTO GRATUITO: Presenças confirmadas de Kim Kataguiri, Arthur do Val (Mamãefalei), Fernando Holiday, Renan Santos, Fred Rauh e Alexandre Santos (diretores) e personalidades da atual política nacional e regional.
Para obter o acesso a gratuidade do ingresso, é necessário cadastrar-se em
https://www.sympla.com.br/nao-vai-ter-golpe—palestra-e-exibicao__630752
Estudante de Letras, são-paulino, fã de System of a Down, devoto de São Dostoiévski (o maior escritor-filósofo do mundo). Intrínseco a mim: Política, Jornalismo, Filosofia e Sociologia. Sou MBL com muito orgulho.