fbpx
Rio Grande do Sul
Recuo do governador Eduardo Leite após pressão da população e MBL RS

Pressão ocorreu principalmente nas redes sociais

05/11/2019 10h20

Governador Eduardo Leite em reunião com líderes do governo na Assembleia (05/11/2019)
Lauro Alves/Agência RBS

Um dia após o anúncio de acabar com o parcelamento do IPVA o governador do RS, Eduardo Leite (PSDB) voltou atrás e cancelou a medida. A decisão foi tomada após reunião de líderes da base aliada, que chegaram ao Piratini descontentes com a medida.

Divulgação/Facebook

Não foram somente deputados da base aliada dentre os descontentes. De partidos do governo à oposição, contribuintes, comerciantes e movimentos como MBL RS também se manifestaram contrários ao novo calendário e fim dos parcelamentos.

O líder da bancada do MDB, deputado Fábio Branco, principal articulador do governo, disse a imprensa nesta segunda (4) que o fim do parcelamento revelava ” total falta de conexão do governo com a realidade das finanças do povo gaúcho”.

No comércio a repercussão ocorreu devido ao impacto negativo nas vendas de Natal caso a ideia permanecesse. Em entrevista a Rádio Gaúcha Paulo Kruse, presidente do Sindilojas em Porto Alegre, alegou o possível uso dos recursos de final de ano, normalmente destinados as compras, para pagamento ao IPVA.

Redes Sociais

Mais uma vez as redes sociais tiveram papel importante. Somente até o final da noite de ontem em publicações na página oficial do MBL RS no Facebook houveram mais de 200 compartilhamentos.

Além disso, diversas pessoas se manifestaram por meio de postagens no Twitter, sendo as principais Giuseppe Riesgo, deputado estadual pelo Novo e Raphael Lima, ativista libertário. Veja algumas delas:

Giuseppe Riesgo, deputado estadual (Novo)
Raphäel Lima, ativista libertário
Carlos Búrigo, deputado estadual (MDB)
Guilherme Macalossi, jornalista e apresentador
Jeronimo Molina, coordenador do MBL RS

Especialista em Gestão Pública, Ativista Libertário Social e Coordenador do MBL Rio Grande do Sul