Rio Grande do Sul
Presidente do PT em Cachoeirinha não debate com “jovem negra e lésbica”

Em suas redes sociais, Almansa atacou uma vereadora pelo “grande crime” de dar uma entrevista.

07/02/2020 17h04 - Por Camila Greff

O presidente do PT do Município de Cachoeirinha, David Almansa, se recusou a debater com uma internauta que questionou a postagem dele no facebook atacando a vereadora Jaqueline Camargo Ritter. A parlamentar é relatora da CPI que investiga a SKM Empreendimentos e Comércio Eireli, recentemente denunciada pelo núcleo municipal do MBL por não operar no endereço que consta oficialmente em seu CNPJ (confira a notícia aqui).

Questionado sobre a agressividade da postagem e dos comentários relativos à professora Jaqueline, o presidente do PT não quis responder à internauta, por considerá-la “uma jovem, negra, lésbica que flerta com o fascismo”. Ao que tudo indica, tanto o crime da vereadora quanto o da internauta parecem ser os mesmos: dialogar com o Movimento Brasil Livre. O ataque de Almansa se deve ao fato de Jaqueline ter aceitado ser entrevistada pelos membros do núcleo de Cachoeirinha acerca da CPI da qual ela é relatora.

Exatamente, para o presidente do PT no Município, se você der uma entrevista ou sequer admitir a hipótese de dialogar com membros do MBL, você é um fascista propagador de ódio e violência. Detalhe: a agressividade dele no post e nas respostas deixa bem claro a quem pertence o comportamento violento e a propagação do ódio.