São Paulo
Prefeitura estuda reduzir o número de vagas especiais de estacionamento em Shoppings

Com a redução da demanda por vagas, administradoras solicitam revisão da obrigatoriedade de vagas especiais

13/01/2020 13h17 - Por Orlando Neto

Foto: Metro Jornal

Autor: Orlando Neto

O aumento da utilização de aplicativos de transporte pela população paulistana apresenta um novo efeito colateral: A diminuição da demanda de estacionamento em shoppings da capital. Com esse novo quadro, as administradoras desta atividade pleiteiam junto à prefeitura de São Paulo um estudo sobre o número de vagas especiais obrigatórias nos estacionamentos administrados pelas mesmas em shoppings da cidade.

O pedido partiu da ABRASCE (Associação de Shoppings). Após o pedido, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), solicitou dados de 30 estabelecimentos e já possui 12 respostas prontas. A prefeitura afirma que, com base nos dados fornecidos, ainda não foi possível fixar um novo cálculo da obrigatoriedade de vagas. Os varejistas alegam que atualmente outros modais de transporte estão crescendo entre os clientes de shoppings, dentre eles, os aplicativos de transporte e os patinetes vem ganhando a preferência dos paulistanos que frequentam os shoppings.

Em algumas experiências por outras cidades do país, estão sendo testadas outras utilizações para os espaços, como: áreas de cultivos de hortaliças e aluguel do espaço para universidades e academias em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, espaços para guarda volumes (self storage), espaço para PETS; restaurantes e lojas; locais para estacionamento de patinetes; locais destinados a distribuição de produtos vendidos por comércio eletrônico e cozinhas de restaurantes delivery, estão na mira das administradoras.

Para o presidente da SINDEPARK, Marcelo Gait, os estacionamentos terão de servir como pontos de atendimento para outros setores: “Novas oportunidades de receita surgirão”, afirma.

Ao público consumidor dos shoppings de São Paulo, cabe aguardar que o prefeito Bruno Covas e sua equipe da CET determinem as novas regras com bom senso e de forma abalizada, facilitando a vida de quem ainda utiliza seu carro para se locomover pela cidade e necessita de vagas em estacionamentos de shoppings. E que o espaço hoje sem demanda de vagas especiais seja utilizado de forma a que várias atividades atrativas ao público e rentáveis aos shoppings, sejam implantadas.

Revisores: Cynthia Capucho e Felipe Donadi.

Fonte: Folha de São Paulo.