Meio Ambiente » Rio de Janeiro
Prefeitura e Comlurb são processadas por ocupação do Jardim de Alah

Praça Poeta Gibran foi tombada pela prefeitura em 2001.

30/01/2020 13h43

O Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com ação civil pública contra a Prefeitura do município e a Comlurb, responsável pela coleta de lixo, pela ocupação da Praça Poeta Gibran, no Jardim de Alah, área nobre da cidade.

Segundo a colunista Berenice Seara, do jornal Extra, a Comlurb instalou um escritório no local e usou o espaço para depósito de lixo, guardar equipamentos e até estacionamento.

De acordo com a Quarta Promotoria de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural, a praça foi tombada pela própria prefeitura em 2001.

O gabinete do prefeito Marcelo Crivella declarou ao MP, em junho, que cabia à Comlurb se manifestar. Já a Companhia de Limpeza Urbana não quis se manifestar.

Com isso, foi pedido pela promotoria a desocupação imediata da praça sob pena de uma multa de R$50 mil por dia.

Jornalista formado pela UniverCidade, pós-graduado em Sociologia, Política e Cultura pela PUC-Rio. Formado em cinema pela New York Film Academy. Um liberal de direita que luta desde sempre pelos ideais que acredita.