Pará
PF do Pará investiga suposta fraude no seguro defeso

PF afirma que desvios aos cofres públicos podem chegar a R$ 5 milhões

11/03/2020 11h35

Ontem, dia 10, a Polícia Federal (PF) deflagrou mandados de prisão e de busca e apreensão pela operação “Pitiú”, que investiga uma região rural, na cidade Floresta do Araguaia/PA, em que pessoas cadastravam indivíduos, que não eram pescadores, para o benefício do seguro defeso. Segundo as investigações os desvios podem chegar aos R$ 5 milhões.

Na ação, seis mandatos de prisão foram executados e a operação já conta com sete pessoas presas. Além disso, a PF cumpriu mandatos de busca e apreensão de documentos, cadastrados dos supostos pescadores, computadores, veículos e entre outros objetos.

Busca e apreensão da PF. Fonte: PF.

A PF também apreendeu uma arma e diversas munições.

Segundo o que foi apurado, o grupo realizava o cadastramento de falsos pescadores e se o benefício fosse aceito o valor era dividido com a quadrilha, conforme as investigações essa atuação criminosa já acontecia há anos na região e beneficiou de forma ilegal cerca de 1000 pessoas.

Se comprovado a fraude, os investigados poderão ser condenados pelos crimes de estelionato e associação criminosa.

O seguro defeso é um benefício do INSS para pescadores que tem na pesca a base de sua renda, além disso os indivíduos para conseguir esse auxílio devem preencher outros critérios como não ter vínculo empregatício em outra função, não receber outro tipo de benefício, ter registro como pescador no RGP (Registro Geral de Pesca), entre outros.