Sem Categoria
Para desviar de escândalo milionário, Prefeito de Choró se disfarça de ‘homem do povo’

Tribunal de Contas do Estado do Ceará aponta que Marcondes Jucá inflou a folha de pagamento com 147 cargos comissionados ao custo de R$ 1,3 milhão

29/01/2020 11h46

Não é de hoje que ao se aproximar das eleições, os políticos tentam passar a imagem de homens do povo, incluindo realizar atividades típicas do trabalhador comum.

A bola da vez é o atual Prefeito de Choró, município do sertão cearense que já foi distrito de Quixadá e está localizado a 170 KM de Fortaleza.
Marcondes de Holanda Jucá, vem chamando atenção nas redes sociais ao aparecer como eletricista trocando lâmpadas de iluminação pública e até mesmo como calceteiro, quebrando pedras e calçando ruas de sua cidade.

Os críticos da gestão dizem que ele apenas quer imitar Sérgio Meneguelli, Prefeito de Colatina/ES, famoso na internet por realizar atividades humildes em seu município. Outros dizem que em época de eleição ele sempre busca aparecer.

A Assessoria de imprensa de Marcondes Jucá, diz que a população não deveria estranhar, pois o prefeito é alegre, simples e costuma se envolver nesse tipo de atividade sempre. Contudo, não há registros dele trabalhando o dia todo nessas funções, levando a crer que tudo não passa de um golpe midiático.

Há quem acredite que tudo não passa de uma manobra do gestor para desviar o foco da acusação de inflar a folha de pagamentos com cargos comissionados. Segundo fontes do Relatório de Acompanhamento Gerencial do Tribunal de Contas do Estado (TCE), em 2019, Marcondes Jucá gastou R$ 1,3 milhão com 147 cargos comissionados, uma remuneração média de R$ 8,9 mil reais para cada. Um verdadeiro absurdo para um pequeno município de apenas 13 mil habitantes.

Foto: Diário de Quixadá
Foto: Diário de Quixadá
Foto: Diário de Quixadá