Pará
Operação do PROCON em Santarém autua estabelecimentos

Diversos produtos com procedência suspeita foram apreendidos

25/03/2020 16h00 - Por Vinícius Vinholte

Em Santarém ainda não tivemos casos confirmados de Coronavírus (COVID-19), porém as pessoas buscam produtos como álcool em gel e máscaras cirúrgicas para se prevenir contra eventuais contaminações, porém alguns cidadãos se surpreenderam com o preço dos produtos têm e reclamaram ao órgão de fiscalização local o Procon.

Devido ao alto número de denúncias o Procon desde o dia 18 de março deu início a operação COVID-19, o objetivo, segundo o órgão, é combater práticas “abusivas” sob produtos como álcool em gel e máscaras. Os principais alvos da operação são farmácias e mercados que comercializam produtos citados anteriormente.

De acordo com o Procon Municipal, até o dia 24 de março 14 estabelecimentos foram fiscalizados e quatro deles foram autuados, apreendeu-se: 19 frascos de 500 ml de álcool em gel com data de validade vencida, 298 frascos pequenos por não ter procedência e oito bisnagas de álcool em gel também sem procedência, além de 80 máscaras respiratórias N95 sem nota fiscal. O dono do estabelecimento tem 10 dias para apresentar as notas fiscais que comprovem a procedência dos produtos.

Em relação aos preços que se elevaram rapidamente a economia explica isso de maneira bem simples: Uma demanda maior por um produto logo vai gerar escassez do mesmo e para manter ele ainda dentro do mercado ao alcance de todos, o comerciante se vê obrigado a elevar o preço da oferta, para assim não ter futuros prejuízos.