Coronavírus » São Paulo - Cidade
O “pancadão” continua

Mesmo sendo proibidos todos os tipos de eventos que promovam aglomeração, moradores de comunidades em São Paulo denunciam bailes funk, jogos de futebol e até igrejas

24/03/2020 12h33 - Por Rodrigo Vieira

O governo estadual e a prefeitura de São Paulo proibiram, desde 13 de março, todos os eventos que promovam aglomerações e reúnam mais de 500 pessoas, eventos esportivos, culturais, artísticos, científicos, políticos e religiosos. Medida tomada com intuito de promover o distanciamento social e assim desacelerar a proliferação do novo coronavírus Sars-Cov2, causador da doença Covid-19.

Ainda assim, houve registros de bailes funk no último fim de semana no Jardim Carombé, região da Brasilândia, Vila Andrade, zona sul da capital e também na Cidade Tiradentes, na zona leste. Os bailes foram registrados por moradores dessas localidades e publicados em redes sociais.

Além desses, houve uma série de denúncias de eventos dessa natureza. Houve também denúncias de igrejas que desrespeitaram as recomendações e até mesmo jogos de futebol.

Um momento como o atual, o mundo mergulhado numa pandemia, um vírus nunca visto antes, pessoas se expõe ao risco de uma infecção desnecessária, podendo levar a doença pra dentro de suas casas e infectar pais e avós, que são os mais vulneráveis, é no mínimo uma falta de empatia e uma total irresponsabilidade.

Até o momento em que foi concluída está matéria, o estado de São Paulo já contabilizava 30 mortes pela Covid-19 com 745 casos confirmados.

Atitudes irresponsáveis como essas somente agravarão ainda mais o cenário já caótico que se instala em São Paulo.

O governador João Doria, juntamente com o prefeito Bruno Covas, ambos PSDB, reiteram, em coletiva de imprensa na segunda-feira (23), a ilegalidade de tais eventos.

“Nós já orientamos a Polícia Militar para que, em conjunto com a prefeitura de São Paulo, o trabalho normativo é da prefeitura, para impedir e prender promotores de bailes funk e de qualquer outro tipo de movimento que envolva promoção de público e aglomerações nas ruas. Eles serão presos e terão as sanções da lei.”

Revisores: Felipe Donadi.

Fonte: G1.