Santa Catarina
“No ano passado a gente não votou e vota em regime de urgência ainda este ano”, afirma Moisés a respeito da Reforma da Previdência

Em entrevista ao “Bom Dia Santa Catarina”, o governador ainda tratou sobre outros temas, como: reposição salarial, trocas no governo, relação com o governo Bolsonaro e impeachment

12/02/2020 19h00 - Por Cícero Cardoso

A reforma previdenciária tem sido um dos temas de maior destaque no Brasil nos últimos anos, ganhando força e expressão especialmente em âmbito nacional. O governador do estado ressaltou, nesta segunda-feira (10), em entrevista ao “Bom Dia Santa Catarina”, a necessidade de se votar a reforma na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) em caráter de urgência ainda este ano. Ressaltou também o compromisso dos estados vizinhos, Paraná e Rio Grande do Sul, que aprovaram suas reformas antes do término de 2019.

“No ano passado a gente não votou e vota em regime de urgência ainda este ano, acredito que até março isso deve estar sendo votado aqui na nossa Assembleia Legislativa”, disse o governador em entrevista.

A necessidade de promoção dessa reforma, segundo Moisés, vai além dos benefícios de curto prazo e que poderiam envolver o governo atual. Segundo ele, sua gestão “não vai colher frutos com essa reforma encaminhada à Assembleia, mas é um ato de responsabilidade de cada parlamentar catarinense, que vai enfrentar essa questão com a seriedade que ela merece, porque nós sabemos que há um déficit”.


Mudanças no governo
Sobre as eventuais trocas no governo, Moisés afirmou que se trata apenas de pequenos ajustes necessários para o alcance das metas do governo. Em entrevista, falou especialmente a respeito da pasta da Infraestrutura, cujas mudanças ocorreram a fim de dar celeridade aos processos.


Restituição de salários
Perguntado a respeito de reposição salarial, o governador falou que este ano começa a discutir a possibilidade de reposição real. Acenou para uma preocupação maior com três áreas prioritárias: saúde, segurança e educação.


Relação com o governo federal
Moisés citou a boa relação que mantém com o governo federal. Segundo ele, o governo do estado está caminhando em direção semelhante à do governo federal, fazendo “o que ele [Bolsonaro] faz lá em cima aqui no estado”. Não deixou de mencionar que há muitas fake news em relação a este tema, e que a decisão de Jair Bolsonaro em criar um partido é natural, bem como algumas pessoas o seguirem nessa decisão.


Processo de impeachment
Sobre o pedido de impeachment, arquivado pelo presidente da Alesc no dia 5 deste mês, o governador afirmou aos entrevistadores: “penso que a Assembleia agiu muito bem ao arquivar esse pedido de impeachment, porque eu acredito que um pedido de impeachment a um governador precisa movimentar um aparato público”. Ressaltou a relevância do impeachment como um instrumento republicano, porém apenas para casos de correção de ilegalidades.

Fonte: NSC Total.