Sem Categoria
“Não sou contra o Estado Mínimo” declara Ibaneis, após oficializar transferência do Mané para iniciativa privada

O Complexo Esportivo Arenaplex deixará de custar R$ 700 mil aos cofres públicos

05/02/2020 11h38 - Por Jonas Fernandes

Foi oficializada nesta terça-feira (4) a transferência do Complexo Esportivo de Brasília para a iniciativa privada. O consórcio Arena BSB, presidido por Richard Dubois, é composto pelo estádio nacional Mané Garrincha, pelo Complexo Aquático Cláudio Coutinho, pelo Ginásio Nilson Nelson e pela área no entorno.

Segundo Ibaneis Rocha (MDB), o governo economizará R$ 700 mil com a concessão, valores esses oriundos das necessidades de manutenção do Complexo. Ao mesmo tempo, exaltou os investimentos financeiros realizados pelo consórcio: R$ 3 milhões investidos nos últimos 6 meses e R$ 22 milhões previstos até o fim deste ano.

O acordo de 35 anos renderá 5% do faturamento anual e R$ 5 milhões por ano aos cofres do GDF, um dos grandes motivos pelos quais o governador acredita em uma mudança de status da obra:

“O que todo mundo julgava ser um elefante branco passa a ser um motor de desenvolvimento na nossa cidade, através do turismo e de grandes eventos, das partidas esportivas.”


No pique da privatização, Ibaneis anunciou seu próximo alvo: o Autódromo Nelson Piquet

“Eu já cancelei a licitação em andamento. Nós vamos executar, através de obra direta, a pista e ver o interesse daqueles em uma concessão, que pode ser muito melhor para o Estado.”


Confira mais declarações de Ibaneis

“Essa é a função do Estado: tirar as obrigações que não são dele e assumir as que têm que fazer. Não sou contra o Estado mínimo […] A reconstrução de Brasília é um projeto difícil de carregar nos ombros […] Nesse sentido, a parceria com a iniciativa privada é fundamental […] Ainda temos, em Brasília, 300 mil pessoas desempregadas […] É exatamente para isso que as minhas portas estão abertas para o empresariado. Quem gera emprego é empresário. Governo só dá despesa.”


Fonte: G1 e Metrópoles.