Goiás
“Não posso permitir e concordar com um presidente que vem a público sem ter respeito por seus aliados” diz Caiado

Caiado mantém decreto de quarentena em Goiás. “Neste momento vou dizer com toda a clareza, que o estado de Goiás, os 7,2 milhões de goianos cumprirão o decreto” disse o governador.

25/03/2020 12h18

Na manhã desta quarta-feira (25), o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), em coletiva de imprensa transmitida através de uma live em sua conta oficial no instagram, afirmou que irá manter o decreto para que o povo goiano permaneça em quarentena. “Neste momento vou dizer com toda a clareza, que o estado de Goiás, os 7,2 milhões de goianos cumprirão o decreto, sabem por quê? Porque se amanhã nós tivermos uma curva agressiva do número de casos a nossa estrutura hospitalar entrará em colapso!“, afirmou o governador.

A declaração de Caiado contraria o pronunciamento em rede nacional do presidente Jair Bolsonaro da noite de ontem (24). “Com tranquilidade, mas com autoridade de governador e médico, [digo] que as declarações do presidente não alcançam o estado de Goiás, serão tomadas por mim, com base no trabalho de técnicos e especialistas.“, exclamou Caiado. E promete “Falarei com ele com comunicados oficiais“.

A atitude tomada pelo governador foi interpretada pelos jornalistas da coletiva de imprensa como um rompimento com o presidente Bolsonaro. Caiado ainda disse que passou a madrugada meditando e questionou: “será que toda a comunidade científica do mundo todo está errada?

O governador demonstrou total desapontamento com as afirmações do presidente. “Eu como médico e governador do estado, não posso permitir e concordar com um presidente que vem a público sem ter respeito por seus aliados. Fui aliado de primeira hora, fui aliado durante todo o tempo, mas não posso admitir que venha agora o presidente da República lavar as mãos e responsabilizar outras pessoas por um colapso econômico ou uma falência de empregos que amanhã venha acontecer. Não faz parte da postura de um governante! O estadista tem que ter a coragem de assumir as dificuldades do momento em que passa, se existem falhas na economia não tem que responsabilizar outras pessoas, assuma a sua parcela“, finalizou.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.