GRANDE ABC
MP de São Paulo deverá ouvir testemunha do caso Celso Daniel nos próximos dias

Promotores correm contra o tempo pois o crime está prestes a prescrever; depoimento de Sâmara pode abrir nova linha de investigação na Lava Jato

13/01/2020 13h17

SANTO ANDRÉ – O assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, em 2002, continua sendo um tormento para a cúpula petista. Conforme publicado por este blog no dia 08, o depoimento de uma nova testemunha do caso pode abrir uma nova linha de investigação pelos promotores do Ministério Público de São Paulo.

Valter Sâmara: a testemunha da vez

A testemunha, o fazendeiro Valter Sâmara, foi amigo íntimo de Lula por 25 anos e afirmou ter entregue ao então candidato à presidência uma gravação com pistas sobre o assassinato de Celso Daniel, que era o coordenador de campanha do Lula à presidência da República nas eleições de 2002.

A imagem pode conter: laptop
Envie um e-mail com os problemas do seu bairro para: mcolombombl@gmail.com

Em entrevista ao Jornal da Record, Sâmara disse que entregou uma fita cassete contendo diálogos entre o ex-ministro Gilberto Carvalho e Miriam Belchior – que foi casada com Celso Daniel – com orientações sobre como ela deveria se comportar no período de luto e sobre os supostos repasses de propina, chamados de “pacotinhos”. Ambos eram secretários da administração petista em Santo André na época do sequestro e assassinato de Celso Daniel.

“Nessa fita, o Gilberto Carvalho falava com a Miriam, essa fita… eu escutei a fita. Eu peguei a fita, fui falar com o Lula, levei a fita pra ele, e ele (inteligível) ‘ah, isso aí é montagem!’ Aí eu falei: olha Lula, eu não creio que seja montagem, a voz, isso aí eu discordei dele mas não quis questionar sobre isso. Falei, tá bom, se você acha que é montagem… então, tá aí a fita, tá isso e aquilo. Eu tô mostrando pra você pra, pra te prevenir, prevenir contra muita gente”, disse Valter Sâmara à reportagem da Record.

Lula e Sâmara (foto: Jornal da Record)

Em março de 2018, Sâmara teria se oferecido para tornar-se colaborador da Lava-Jato, mas desistiu depois que a casa de sua irmã e a loja de roupas da família foram invadidas por homens armados e encapuzados que buscavam “o documento do PT”.

“Queriam um documento, a fita do PT. Foram lá com esse objetivo. Foram em cinco pessoas para bater nele. Mas, eu não tinha mais essa fita. Eu deixei com Lula. A conversa era dando conselhos para ela [Miriam], como deveria se comportar, andar. E sobre os pacotinhos que tinham lá, para ele ir buscar”, completou Sâmara à Record.

RELEMBRE TODO O CASO

Em depoimento, Marcos Valério acusa Lula de ser o mandante do assassinato de Celso Daniel

Agora os promotores do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), correm contra o tempo para colher o quanto antes o depoimento do fazendeiro e ex-amigo de Lula antes que o crime prescreva. No dia 18 de janeiro, o crime completa 18 anos sem ter seu mandante revelado.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho. Contribua em: https://mbl.org.br/ajudeseunucleo/

Estudante de Letras, são-paulino, fã de System of a Down, devoto de São Dostoiévski (o maior escritor-filósofo do mundo). Intrínseco a mim: Política, Jornalismo, Filosofia e Sociologia. Sou MBL com muito orgulho.