Rio de Janeiro
Miliciano homenageado duas vezes por Flávio Bolsonaro morre em operação da Polícia

Adriano Nóbra era foragido e foi morto no último domingo na Bahia, em operação conjunta da PMERJ com a PMBA.

11/02/2020 05h40

O ex-PM e miliciano Adriano de Nóbrega foi morto no último domingo (9 de Fevereiro) em Esplanada na Bahia, ele era suspeito de chefiar um grupo criminoso que havia cometido dezenas de crimes.

Foragido há mais de um ano, Adriano, que já foi capitão do BOPE (Batalhão de Operações Especiais), havia sido expulso da Polícia Militar por envolvimento com jogo do bixo.

Conhecido como Capitão Adriano, o miliciano fora homenageado pelo atual senador e até então deputado estadual, Flávio Bolsonaro em mais de uma oportunidade.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia, Adriano passou a ser monitorado depois de o órgão receber uma informação de que o mesmo estaria procurando um esconderijo na Bahia (Adriano é natural do Rio de Janeiro). A partir disso, a Secretaria localizou Adriano no Sítio de um Veredor do PSL de explanada.

Vale ressaltar que em 2003, o ex-capitao respondeu ao lado de Fabrício Queiroz pelo crime de homicídio.

Mauro Gabriel-MBL Rio de Janeiro