Paraná
Meias-diárias para vergonhas inteiras no Paraná

Quando inventam que é melhor não saber como gastaram o seu dinheiro.

21/01/2020 09h48 - Por G. Borges

São 18h e lá fora tem-se um belo entardecer de 36 graus. Você está cansado, suado e só quer sua casa, mas precisa esperar o busão chegar para tomar mais R$ 4,50 (valor praticado na capital paranaense) dos míseros R$ 34,63 que você, assalariado, fez no dia. Isso mesmo – você gasta praticamente 15% do seu salário só para ir embora.

E por que te lembrar disso?

Porque talvez você fique indignado ao saber que a Assembleia Legislativa do Paraná, a Alep, aprovou o ressarcimento com meias-diárias para os deputados e servidores que viajarem para suas cidades, ou seja, para onde têm suas casas.

Deslocamentos com menos de 50 quilômetros (40 minutos de viagem ou menos) também serão ressarcidos, mas receberão “apenas” meias-diárias. Os valores a serem pagos pelas diárias cheias variam de R$ 105,51 até R$ 844,07, dependendo da função exercida. Quer a cereja do bolo? Eles não precisam comprovar os gastos.

Os agradecimentos devem ser direcionados ao presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), que assinou a resolução, em novembro do ano passado, e cria novas regras sobre o ressarcimento.

Conseguimos resgatar a esperança em meio a tanto desapego com o dinheiro público junto ao deputado estadual Homero Marchese (Pros), que aponta ser sem propósito o recebimento de diária para estar na própria cidade. “No momento em que se exige austeridade e controle dos gastos públicos, a Assembleia vai no sentido contrário”, disse Homero.

A previsão de gastos com ressarcimento ficou em torno de R$ 20 milhões, o que anima ainda mais o paranaense que acorda de manhã para gastar, sem ressarcimento, mais R$ 4,50, no mínimo, em sua condução.


Hodie mihi, cras tibi.”

Informações G1.

Leia também: