São Paulo - Cidade
MBL São Paulo realiza manifestação contra Lei Anti Uber

O PL 419/18, mais conhecido como “Lei Anti Uber” pretende restringir o Uber e acabar com os aplicativos de transporte

11/03/2020 20h28

Na tarde desta quarta-feira (11), o MBL São Paulo realizou uma manifestação na Câmara Municipal de São Paulo contra o PL 419/18 de autoria do vereador Adilson Amadeu (DEM).

O PL, pretende regulamentar os aplicativos de mobilidade na cidade de São Paulo. Ou seja, caso aprovado, mais de 150 mil pessoas ficariam desempregadas.

A manifestação contou com a presença de vários motoristas de aplicativo e também, com alguns coordenadores do MBL, dentre eles, o coordenador do núcleo de São Paulo Fernando Dainese. O vereador e coordenador nacional do MBL Fernando Holiday, e o deputado Arthur do Val, também estavam presentes no ato.

Em seu discurso, o deputado Arthur do Val (Mamãe Falei), afirmou: “Eu, como usuário e amigo de vários uberistas, sei o absurdo que é cidades indo no sentido contrário o da inovação. O prefeito Bruno Covas, que sempre tenta regulamentar o Uber a todo tempo, tenta acabar com o emprego de 200 mil famílias de São Paulo. Se um dia eu for prefeito de São Paulo, em primeiro lugar, nunca um aplicativo de transporte será regulamentado como eles querem fazer. É segurança para o trabalhador. Segundo ponto é que, nunca vi na história de uma metrópole no mundo, alguém falar, se eu for prefeito de São Paulo eu vou desregulamentar o táxi. Vai acabar esse negócio, desse mercado paralelo, do cara pagar para ir no aeroporto e o uberista, que está trabalhando igual, pagando mais caro no carro, não pode usar o corredor de ônibus, não pode pegar o passageiro lá (aeroporto)”.

O vereador Fernando Holiday, também discursou: “Se esse projeto não passou até agora, é por causa da mobilização de vocês (manifestantes e ubers). As vozes daqueles que foram vítimas da crise econômica, as vozes daqueles que dependem dos aplicativos pra levar comida para dentro de casa, as vozes daqueles que querem levar dignidade à seus filhos e suas famílias dirigindo pelas ruas de São Paulo é uma voz muito mais forte que qualquer sindicato de taxistas, é uma voz mais forte que qualquer vereador, é uma voz muito mais forte que qualquer lobby de frota de táxi que essa cidade já viu.

A votação estava marcada para às 15h00 e seguiu em discussão até às 18h20. Porém, não houve quórum para realizar a votação.

Diretora de Redação do MBL São Paulo.