fbpx
Espírito Santo
MBL Espírito Santo fiscaliza Hospital Infantil Estadual

Crianças doentes poderiam ser transferidas para contêineres.

22/09/2019 20h22

Inaugurado em 1935, o Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória é o maior e mais tradicional hospital destinado ao atendimento de crianças no estado, chegando a realizar mais de 100 mil atendimentos anuais. 

Apesar de tradicional e de prestar um importante serviço no sistema público de saúde do Espírito Santo, e de receber mais de R$ 60 milhões nos últimos 4 anos, os capixabas que precisam do hospital tem vivido um clima de medo por conta da falta de estrutura do prédio. Sem alvará e com irregularidades na rede elétrica, o Hospital Infantil funciona com plantão do Corpo de Bombeiros. Apenas neste ano já foram registrados diversos casos de curto-circuito e princípio de incêndio.

Diante de uma tragédia eminente, os bombeiros afirmam que já avaliaram a interdição do prédio, que não foi à frente devido a falha da Secretaria Estadual de Saúde ao tentar apresentar alternativas para alocar as crianças que se encontram internadas. O presidente do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) já afirmou que o Hospital Infantil de Vitória é uma verdadeira “bomba relógio”. 

Durante reunião da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente, o secretário de saúde Nésio Fernandes (PCdoB) sugeriu que o governo cogitava o envio de crianças internadas para contêineres provisórios. Mais tarde, após ser questionado Pela OAB, o secretário desmentiu, ignorando os registros em vídeo e atas, e disse que os contêineres receberiam a parte administrativa do hospital.

Em 2010, o Superior Tribunal de Justiça proibiu que presidiários fossem alocados em contêineres no estado por se tratar de “pena cruel”. Se criminosos não podem ficar nessas condições por que cogitar que crianças em grave estado de saúde permaneçam dessa forma?

Na última terça-feira (17) a Defensoria Pública do Espírito Santo (MPES) ingressou com mandado de segurança contra o secretário de saúde exigindo a transferência dos paciente dos Hospital Infantil para espaços que possuam condições mínimas para recebê-los. O objetivo da ação seria evitar uma tragédia parecida com a do Hospital Badim, no Rio de Janeiro, onde recentemente 14 pessoas foram fatalmente vitimadas em um incêndio.

O Movimento Brasil Livre no Espírito Santo tem acompanhado a crise do hospital infantil, buscando informações constantes em conversas com a Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente da Assembleia Legislativa. Na última quarta-feira (18) o coordenador do MBL no Espírito Santo, Darcy Junior, esteve no hospital para tentar averiguar pessoalmente a situação do prédio. Sem a permissão para entrar e fazer imagens internas, foi possível mostrar que, mesmo de fora, as condições revelam uma estrutura não muito adequada para a prestação do importante serviço de atendimento às crianças. 

Veja no vídeo como foi a visita: https://bit.ly/2kZpLF7

*Texto com colaboração de Darcy Júnior e Rodrigo Peixoto. 

Vice-coordenador estadual do Movimento Brasil Livre no Espírito Santo.