fbpx
GRANDE ABC
Marcos Valério afirma que despesas de Lula eram pagas com dinheiro de corrupção

Em áudio obtido pela Revista Veja, Valério conta a relação financeira entre ele e o PT

27/10/2019 13h52

SANTO ANDRÉ – A Veja teve acesso ao depoimento de Marcos Valério para o Ministério Público de São Paulo, prestado no Departamento de Investigação de Homicídios de Minas Gerais, em que o operador do mensalão declarou que Lula e outros petistas graduados foram chantageados por um empresário de Santo André – Ronan Maria Pinto – que ameaçava implicá-los na morte de Celso Daniel, prefeito da cidade, executado a tiros depois de um misterioso sequestro, em 2002. E cravou ter ouvido de Ronan que o ex-presidente foi o mandante do assassinato. Ver:

Celso Daniel e Lula, em 2001 (foto: divulgação)

O promotor também perguntou sobre as relações financeiras do empresário com o governo e com o ex-presidente Lula. Abaixo, a transcrição do áudio: (P) Promotor – (MV) Marcos Valério.

(P) – O caixa que o senhor administrava era dinheiro de corrupção?
(MV) – Caixa dois e dinheiros paralelos de corrupção, propina e tudo.
(P) – Do Governo Federal?
(MV) – Sim, do Governo Federal.
(P) – Na Presidência de Lula?
(MV) – Na Presidência do presidente Lula.
(P) – Pagamentos para quem?
(MV) – Para deputados, para ministros, despesas pessoais do presidente, todo tipo de despesa do Partido dos Trabalhadores.

No depoimento, Valério reafirmou sua intimidade com o presidente Lula. Ele contou que esteve mais de uma centena de vezes no Palácio do Planalto para encontros com o presidente e com o então todo poderoso ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu. Foi em um desses encontros que Dirceu lhe teria pedido para

“resolver o problema da chantagem que estaria sofrendo por conta do caso Celso Daniel.”

Foi também em um desses encontros que Lula teria lhe agradecido por ter resolvido o problema.

Se Valério estiver dizendo a verdade — e é isso que as novas investigações se propõem a descobrir —, a morte do prefeito teria o objetivo de esconder que a prefeitura de Santo André funcionava como uma fonte corrupta de arrecadação do PT para financiar não só as campanhas políticas mas a boa vida de seus dirigentes, incluindo Lula, sendo que Celso Daniel concordava em desviar dinheiro público para o PT; para enriquecimento de seus partidários o ex-prefeito era contra. E com este pensamento, Celso trouxera desconfiança à quadrilha petista e estes temiam que Celso “falasse demais” expondo o esquema de corrupção.

Com esta falsa moralidade, Celso Daniel selara seu destino.

DIGRESSÃO SOBRE O CASO

EM SETEMBRO DE 2016, o publicitário Marcos Valério depôs na Policia Federal para o então juiz Sérgio Moro, o que motivou o Ministério Público de São Paulo a pedir a reabertura do caso através do procurador de justiça Edison Mougenot Bonfim.

Para o MP de São Paulo, o crime decorreu por motivações políticas, o que foi descartado pela polícia a época da investigação.

Marcos Valério sendo preso em 2013

Teríamos a solução do caso que assombra o PT antes de sua prescrição?

(fonte: Revista Veja, Jornal da Gazeta)

Ajude-nos a continuar nosso trabalho. Contribua em mbl.org.br/contribua

Estudante de Letras, são-paulino, fã de System of a Down, devoto de São Dostoiévski (o maior escritor-filósofo do mundo). Intrínseco a mim: Política, Jornalismo, Filosofia e Sociologia. Sou MBL com muito orgulho.