fbpx
Amazonas
Marcelo Ramos é a favor da lei Lula livre

Fundo partidário (dinheiro público) poderá ser usado para pagar despesas advocatícias de criminosos.

13/09/2019 01h24

Na última quarta-feira (4) a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 11021/18 que altera consideravelmente regras eleitorais. A nova legislação é uma reação a decisão do Supremo Tribunal Federal de proibir doações de empresas privadas para campanhas eleitorais. Umas das partes polêmicas da lei diz que o fundo partidário poderá ser usado para:

…contratação de serviços de consultoria contábil e advocatícia para atuação jurisdicional nas ações de controle de constitucionalidade, e demais processos judiciais e administrativos de interesse direto e indireto do partido, bem como nos litígios que envolvam candidatos do partido, eleitos ou não, relacionados ao processo eleitoral, ao exercício do mandato eletivo ou que possa acarretar reconhecimento de inelegibilidade ”.

É bem possível que a liberdade do ex-presidente Lula esteja no interesse direto ou indireto do Partido dos Trabalhadores, e segundo essa legislação, as eventuais despesas advocatícias dos quase dez processos que o mesmo responde, podem ser pagas pelos pagadores de impostos.

Questionado, o Deputado Federal pelo Amazonas Marcelo Ramos se mostrou absolutamente tranquilo em relação ao seu voto, e ainda defendeu o projeto:

Marcelo Ramos acredita que as pessoas não estão tomando conhecimento das leis aprovadas nas sessões da madrugada da Câmara dos Deputados. Creio que ele ainda esteja em 2013, onde se era possível fazer tudo e mais um pouco sem nenhum medo, ou cobrança.

O Deputado ainda se comprometeu a colocar sua atitude em seu panfleto de prestação de contas” do mandato. É motivo de orgulho pessoal o seu voto, ficou claro:

Depois de todas as suas respostas, o Deputado Marcelo Ramos apagou todos os seus comentários da publicação.

Ativista do razoável e uma leitura irreverente do que julgam ser os fatos.