Rio Grande do Sul
Leite responde desafio de Bolsonaro de “zerar” tributos sobre combustíveis

Bolsonaro disse que zera tributos federais sobre combustíveis se Estados zerarem ICMS. Leite respondeu.

06/02/2020 20h46 - Por Camila Greff

Nesta quinta-feira (06), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, participou da inauguração de um trecho quase 10 km de rodovia, entre Caraa e Santo Antônio da Patrulha, e compartilhou a informação em suas redes sociais. No facebook, um usuário questionou a posição de Leite acerca da proposta de Bolsonaro de zerar impostos sobre combustíveis, incluindo o ICMS. E o governador respondeu à pergunta.

“Se o Rio Grande do Sul zerasse o ICMS para combustíveis, o déficit das contas públicas, hoje previsto em R$ 5,2 bilhões para 2020, saltaria para mais de R$ 10 bilhões. Na prática, isso equivale a OITO FOLHAS do funcionalismo público. Ou seja, o s servidores públicos do Estado, que já recebem o salário parcelado, sofreriam um agravamento dessa situação, podendo alcançar mais de QUATRO MESES de atraso salarial. Além disso, o Estado seria obrigado a reduzir investimentos, repasses a hospitais e aos municípios, que perderiam recursos expressivos.

“O ICMS é fundamental para as finanças do Estado e das prefeituras. O governo, com redução das alíquotas dos impostos estaduais de maneira sustentável, de forma planejada, sem gerar um colapso na prestação de serviços e na vida dos servidores públicos”.

Nessa briga entre Estados e União sobre a alta carga tarifária imposta sobre combustíveis, o único prejudicado é sempre o contribuinte, tributado em todas as atividades do seu dia-a-dia.