Rio Grande do Sul
Leite aceitou o desafio do ICMS? Será que Bolsonaro vai encarar?

Bolsonaro lançou o desafio: zerar tributos de combustíveis. Leite respondeu: “ele começa”. Entenda.

11/02/2020 23h28 - Por Renan Della Costa

Recentemente, o presidente da República, Jair Bolsonaro, de forma populista – via redes sociais e sem discussão – desafiou os governadores a zerarem o ICMS dos combustíveis. Em rápida entrevista, na última sexta-feira (07), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, parece ter cobrido o blefe presidencial: “Ele começa”, disse Leite. “Ele começa e a gente aceita o desafio”, afirmou o governador.

Brincadeiras à parte, se é que se pode chamar a irresponsabilidade fiscal assim, parece evidente que nenhum dos dois pretende zerar qualquer tributo, tendo em vista que ambos precisam dos recursos da receita proveniente da arrecadação tributária. Sim, o combustível está caro e isso desgasta tanto Bolsonaro – que passou de torcedor a refém dos caminhoneiros -, quanto Leite – que perde popularidade em razão das necessárias reformas e de não conseguir atender a promessa de pôr a folha em dia no primeiro ano de Governo.

O problema de blefar é que pode-se encontrar alguém que o faça melhor . Geralmente quem blefa antes, o faz por estar em uma condição mais favorável – que é exatamente o caso da União, a qual retém a maior parcela da arrecadação tributária. Seria mais interessante, portanto, que Eduardo Leite foque naquilo que pode dar ao Estado maior autonomia e gestão sobre tributos, como a Proposta de Emenda à Constitucional do Pacto Federativo.

Da última vez que o governador gaúcho decidiu focar em bravatas populistas e desnecessárias, como a criminalização do devedor de ICMS, atrasou em um mês a aprovação das Reformas Administrativas necessárias ao Estado. Eduardo Leite tem muitas reformas a realizar se quiser cumprir suas promessas de campanha, como o equilíbrio das contas e os salários em dia. Não há tempo para os blefes e populismos de Bolsonaro.