fbpx
Goianésia » Goiás
Justiça determina bloqueio de bens do prefeito de Goianésia (GO) Renato de Castro

A suspeita é de gastos irregulares de dinheiro público na organização do Evento Goianésia Mix Festival, além de crime de responsabilidade e fraude em licitações.

10/10/2019 08h59

O Ministério Público solicitou nesta segunda-feira (7) e o juizado determinou o bloqueio dos bens do prefeito da cidade Renato de Castro (MDB) por prováveis gastos irregulares de dinheiro público na organização do Evento Goianésia Mix Festival.

O Vice-prefeito de Goianésia Carlos Gomes (DEM), já havia criticado a maneira pelo qual esta sendo utilizado o dinheiro público para promover o evento Goianésia Mix Festival que ocorrerá no município os dia 11 e 12 de outubro. Segundo o vice-prefeito, nesse festival será gasto em torno de R$1,5 milhões e nos outros que passaram já foram gastos em torno de R$3 milhões o que daria aproximadamente R$4,5 milhões de dinheiro público.

Segundo o Ministério Público o desrespeito com o dinheiro público começou logo no primeiro ano de gestão do prefeito Renato de Castro, em 2017, quando havia previsão orçamentária para o Evento Goianésia Mix Festival no total de R$ 716,1 mil, sendo utilizado ao final do evento R$ 1,8 milhões, ou seja, 160% a mais do que o previsto. De acordo com a promotora de Justiça Márcia Cristina, também foi evidenciado que o prefeito fez um remanejamento verbas sem prévia autorização legislativa, configurando crime de responsabilidade. Contratos com hotéis também levantaram suspeita de fraude em licitações.

Para a promotora de Justiça Márcia Cristina a festa pode ser considerada uma afronta com a população do município que conta com cerca de 70 mil habitantes, mas realiza com o dinheiro público um evento que somente cidades turísticas importantes do país conseguem fazer. “Existe um dispêndio muito grande de verbas públicas sem um retorno efetivo para a população e sem que se observem as políticas públicas em outras áreas. Então muitas vezes, a área de saúde, educação, meio ambiente ficam sem assistência adequada só para se fazer esse tipo de evento. Aqui na cidade por exemplo, na área de saúde, desde o início da atual administração o Ministério Público já propôs mais de 250 mandados de segurança contra o município para a garantia desse direito da saúde da população“, disse a promotora.

Confira o vídeo:

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.