São Paulo
Homem preso por atear fogo em morador de rua na Mooca pode não ser o verdadeiro autor do crime

Novos depoimentos de testemunhas coletados nos dias 13 e 14, levam ouvidoria da polícia a duvidar se o homem preso foi de fato o autor do crime

16/01/2020 10h53 - Por Antonio Glenio

Foto/R7

No último domingo (5), o morador de rua Carlos Roberto Vieira da Silva, foi vítima de um ataque no qual ele foi incendiado enquanto dormia. Carlos não resistiu e veio a óbito. O crime ocorreu no bairro da Mooca, zona leste da capital. E logo na quarta-feira dia (8), o também morador de rua, Flausino Cândido Filho, foi preso pela Polícia Civil e assumiu ter sido o autor do crime.

No entanto, suspeita-se que Flausino não seja o verdadeiro autor do crime. De acordo com o depoimento colhido por uma moradora da região no dia 14, ela disse conhecer Flausino a muitos anos na região e relatou que ele apresenta problemas para se locomover. Isso gera dúvidas, pois a principal evidência para a polícia ter chegado a ele são as imagens de uma câmara de segurança. As imagens mostram que o criminoso após atear fogo em Carlos, saiu correndo, aparentando não ter qualquer problema de locomoção.

No dia (13), foi colhido o depoimento de um motorista que passava pelo local no dia do crime. De acordo com o relato do motorista, ele diz ter visto um homem na rua minutos antes do ocorrido, entretanto, segundo a testemunha, o homem apresenta características diferentes de Flausino.

Os depoimentos levaram a ouvidoria a levantar a hipótese que, provavelmente, Flausino não seja o verdadeiro responsável pelo crime. Os depoimentos foram repassados para o Ministério Público e o caso segue em aberto com novas provas em análise.

Esperamos que as novas provas levem as autoridades até o verdadeiro responsável pelo crime, e que ele responda por seu ato na justiça.

Fonte: R7