fbpx
Educação » Pará » Santarém
Governador Helder Barbalho ignora a falta de professores na Universidade Estadual do Pará – UEPA

Alunos da Universidade do Estado do Pará, Campus de Santarém, denunciam a contínua falta de professores e o governo faz vista grossa.

08/10/2019 17h04

Desde o dia 13 de agosto deste ano o MBL Pará, através de seu núcleo de Santarém, expôs a indignação dos alunos do curso de medicina da Universidade Estadual do Pará – UEPA, campus do município, com a falta de professores efetivos nos quadros da instituição. Uma reunião foi realizada pelo centro acadêmico de medicina juntamente com o Secretário Regional do Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto, onde o Centro Acadêmico (CA) repassou os problemas enfrentados pelos alunos como a falta de professores logo no início do semestre e a quase que inexistência de concursos públicos para contratar novos docentes.

Porém a indignação dos acadêmicos de medicina em Santarém, aumentou com o anúncio da inauguração de um novo campus em Ananindeua e a abertura o edital 74/2019, com nenhuma vaga de professor do respectivo curso para a cidade, as perguntas quem ficam são: Como o governo tem dinheiro para inaugurar um novo campus, contratar novos professores por meio de um processo seletivo e ainda financiar todo este novo polo? Por quê não abriram vagas para docência em Santarém, justamente em um momento em que os alunos reclamam da falta de professores?

O descaso do governo Barbalho com a região Oeste é claro pois a demora para a formação de profissionais em uma área tão vital como a saúde vai agravar ainda mais os problemas enfrentados pela população urbana, rural e ribeirinha. Muitas comunidades ribeirinhas ao longo do Rio Tapajós, comunidades predominantes na região, tem as vezes 1 posto de saúde com um único técnico de enfermagem e quando o atendimento é muito complexo, o paciente é encaminhado para Santarém por meio de embarcação, viagem que pode vir a durar em média de 1 a 2 dias até a área urbana.

Na tarde desta quinta-feira (05/10), os alunos do centro acadêmico de medicina da UEPA, campus Santarém, publicaram uma nota de repúdio ao edital 74/2019, referente à contratação de professores para outros polos, preterindo o de Santarém. Segundo eles, “o interior do estado do Pará foi esquecido pelos seus governantes”.

A nota informa ainda que os problemas referentes à escassez de docentes, no campus já haviam sido repassadas ao governo do Estado.  A mesma ainda afirma que, “o Estado está defasado, e o atendimento médico que a população paraense receberá no futuro será de má qualidade” – Sabemos que já é.

A nota ainda direciona o pedido, ao Governador Hélder Barbalho, a reitoria da UEPA e a ALEPA, que mostrem que realmente estão engajados na tentativa de solucionar os problemas do campus. Pedem a eles também que “respeitem o interior, respeitem os discentes da Universidade” e que “respeitem a População Paraense”.

A solução mais eficiente para essa falta de docentes seria a contratação emergencial de professores com a realização de novo concurso público, especifico para a universidade em Santarém.

Gestor, Ativista Político e Líder do Movimento Brasil Livre - MBL Pará