fbpx
Brasília » Privatização
GDF avança com a PPP da Torre de TV Digital

Terracap lança edital para a gestão privada do espaço da Torre.

18/10/2019 17h25 - Por Marcos Johnny

Buscando economia nos recursos do estado e apostando nos modelos de Parcerias Público-Privadas (PPPs), o governo do Distrito Federal dá mais um passo à frente.

Dessa vez, a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) convoca interessados em administrar a Torre de TV Digital de Brasília, localizada no Setor Habitacional Taquari. O edital prevê a administração do espaço pela iniciativa privada pelo prazo de 15 anos.


O
Espaço Territorial da Torre de TV Digital

Levando em consideração a história da Torre, vemos o potencial turístico que ela tem e como a iniciativa privada poderá se beneficiar com a parceria. Edificada com investimentos da Terracap em 21 de abril de 2012, a Torre de TV Digital de Brasília é o último projeto de Oscar Niemeyer (1907-2012) executado antes de sua morte.

Conhecida também como Flor do Cerrado, a torre tem uma estrutura complexa que enche os olhos dos turistas. Os dados técnicos apontam que:

  • o complexo tem uma área de 48,9 mil metros quadrados, incluindo um estacionamento para 800 vagas.
  • a torre tem 170 m de altura, dos quais 120 m são de concreto; e os 50 m, de estrutura metálica.
  • no alto da estrutura, duas cúpulas de vidro e um mirante propiciam uma das mais belas vistas da capital.
  • o transporte dos visitantes é feito por meio de três elevadores. Além de um espelho d’água, o complexo de lazer conta com lojas e boxes em seu térreo.


Os
Benefícios da Parceria para as Contas do GDF

O projeto se inicia a todo vapor. Para o presidente da Terracap, Gilberto Occhi, a concorrência pública vai proporcionar destinação cada vez melhor para o ambiente de turismo, negócios e exploração comercial.

Ele ainda defende:

“É uma política do governador Ibaneis Rocha. O setor privado terá sempre prioridade no desenvolvimento dos negócios no Distrito Federal. A concessão pública e a parceria público-privada são formatos que privilegiam esse tipo de ação e proporcionam a geração de emprego, o desenvolvimento e a arrecadação de novos impostos”.


Ainda para Occhi, esse modelo de negócio faz com que os espaços se tornem atraentes como patrimônio, bem como estimula o setor privado a realizar suas atividades.

“A Terracap garante uma receita mensal sobre o patrimônio público e faz com que o gestor mantenha esse patrimônio em perfeitas condições. O setor privado em Brasília está acostumado a promover eventos culturais, desde festas a exposições. A Torre Digital é um ambiente cultural, um patrimônio turístico e poderá ser devidamente explorado de forma mais rápida e eficiente pelo setor privado”, argumenta.


Vale ressaltar que a parceria com a iniciativa privada não interferirá na visitação pública ao espaço. Uma das obrigações de quem assumir a gestão do local é a ampliação do acesso ao mirante, tornando o trânsito dos turistas mais facilitado e mais prazeroso.

Sendo assim, o objetivo é trazer mais comodidade aos visitantes e movimentar o comércio local.


Fonte: Agência Brasília.