Educação » São Paulo
Funcionários de creches descredenciadas estão sem receber salários desde outubro

Em outubro de 2019, 104 creches foram descredenciadas pela prefeitura e seus funcionários ainda estão com seus salários atrasados

07/02/2020 06h00 - Por Antonio Glenio

Em outubro de 2019, a gestão de Bruno Covas (PSDB), detectou suspeita de desvio de verbas e falsificação de documentos por parte de mantenedores de 104 creches na cidade de São Paulo, resultando no descredenciamento dessas creches.

E até agora, mais de três meses depois do descredenciamento, cerca de 1.800 funcionários que trabalhavam nessas creches ainda estão sem receber seus salários atrasados.

Em dezembro de 2019, o MBL-SP recebeu uma denúncia de uma ex-coordenadora de uma das creches relatando que lhes foi dito [a ela e aos ex-funcionários] que seus salários referentes ao mês de outubro seriam debitados no início do mês de novembro, o que não ocorreu. E em janeiro, a Secretaria da Educação afirmou que os valores seriam repassados ainda no mês de janeiro. No entanto, já estamos em fevereiro de 2020 e os salários de outubro do ano passado ainda não foram debitados.

Segundo a prefeitura, os valores começaram a ser pagos apenas nesta semana, ou seja, com quase quatro meses de atraso. Já foram dois prazos diferentes estipulados pela prefeitura. Portanto, como é de costume, não há data definida para pagar os funcionários.

Infelizmente, esses funcionários que apenas estavam cumprindo com seu trabalho estão sofrendo punições injustas junto aos mantenedores corruptos. E como se já não bastasse tanto sofrimento para receber seus salários atrasados, eles ainda têm que aturar uma prefeitura incompetente e mal organizada, que é incapaz de cumprir os prazos estabelecidos.

Revisores: Rodrigo Vieira e Cynthia Capucho.

Fonte: G1