Pará
Ex-senador Luiz Otávio Campos (MDB) tem prisão revogada

Ex-senador teve prisão decretada hoje pela manhã pela Polícia Federal

09/01/2020 19h48 - Por Darlen Freitas

Na tarde de hoje, dia 9 de janeiro, o ex-senador Luiz Otávio Campos (MDB) teve prisão preventiva revogada em uma audiência na 1ª Zona Eleitoral do TRE de Belém no Pará.  Segundo a defesa, a prisão teria ocorrido sem a menor necessidade e desprovida de provas para embasar a ação.

Julgamento foi feito pela juíza substituta Andrea Ribeiro que acatou o pedido da defesa de Campos. Ex-senadora, até o presente momento, deverá responder ao inquérito em liberdade.

Até agora nem a Polícia Federal e muito menos o Ministério Público Federal se pronunciaram sobre a soltura. Se não havia provas contundentes para justificar o pedido de prisão por que o mandado foi emitido e executado? Estranho, não?

Ex-senador do Pará Luiz Otávio Campos (MDB) teve hoje, no dia 9 de janeiro, pela manhã pedido de prisão preventiva deflagrado pela Polícia Federal (PF) através da Operação Fora da Caixa que faz parte da Operação Lava Jato. Esta ação da Polícia apura suposto crime de caixa dois praticado nas campanhas eleitorais de 2014 para o governo do Pará.

A investigação foi iniciada quando em delação premiada, na Operação Lava Jato, um sócio da empresa Odebrecht relatou que “um candidato ao governo do Pará recebeu três pagamentos de 500 mil reais cada, intermediados por um ex-senador ligado ao então governo paraense”.

Posteriormente, Luiz Otávio Campo, segundo o delator da J&F Ricardo Saud, foi apontado como o operador, do senador Jader Barbalho (MDB), que lidava com o dinheiro repassado pela empresa JBS para parlamentares do MDB Pará com o objetivo de comprar apoio na campanha à presidência em 2014 de Dilma Rousseff.

De acordo com a PF, Campos é suspeito de intermediar o pagamento de 1,5 milhão de reais parceladas em três vezes ao governador do Estado Helder Barbalho (MDB) para ser possivelmente usado na sua campanha eleitoral de 2018.