Educação » Infraestrutura » São Paulo
Escolas municipais de Sorocaba estão abandonadas.

Escola de Educação Infantil de Sorocaba (CEI41), apresenta grande problema com mofo devido ao excesso de infiltração.

10/02/2020 13h41 - Por Diego Ramos

Cei 41 Do bairro Maria Eugênia (foto:arquivo pessoal)

O descaso com os cidadãos de Sorocaba por parte da prefeitura municipal é cada dia mais nítido, são ruas que de tantas crateras mais se parecem com a superfície da lua, falta de iluminação pública adequada, mato acima da altura normal necessitando uma roçagem imediata. Dentre tantos problemas citados, com o retorno das aulas pelos alunos municipais, vem se tornando nítida a falta de respeito com nossas crianças, muitas escolas e CEI´s não estão adequadas para receber os alunos, devido aos riscos de acidente e de saúde.

O mofo e infiltrações estão por toda parte podendo causar problemas respiratórios nos alunos e professores (foto:arquivo pessoal)

Um caso que vem trazendo grande preocupação por parte da população é o da CEI 41 – “Antônio Fratti”, situada na Rua Mario Romano, S/N – Jardim Maria Eugênia, nesta CEI existe um grande volume de infiltração no telhado e vazamentos na estrutura hidráulica do prédio, graça aos vazamentos e infiltrações as paredes e teto do prédio estão totalmente tomadas pelo “MOFO”, este mofo por sua vez pode causar muitas complicações na saúde dos alunos e funcionários, das complicações que podem ser causadas podemos citar: Asma e Renite em pessoas alérgicas, Micose Bronco pulmonar alérgica, síndrome da doença inflamatória sistêmica e sinusite fúngica, inclusive, existe registros e estudos médicos em que o mofo e bolor aparecem como causa de óbito direta ou indiretamente, ou seja, uma simples mancha de umidade na parede com conserto adiado, tem o poder de afetar a saúde de todas as pessoas que por ali circulam.

Mofo por todo teto das salas de aula(foto:arquivo pessoal)

Além dos problemas de saúde, e estéticos nas paredes causados por infiltrações, o excesso de infiltração pode trazer problemas estruturais ao prédio, pois o contato da umidade com a estrutura metálica das colunas e vigas causam oxidação dos vergalhões da armação, diminuindo sua resistência, podendo vir a ceder com o passar do tempo. Existe também o risco de escorregamento e queda por parte dos alunos e funcionários. Além do risco de curto-circuitos e choques que a umidade traz para as instalações elétricas.

(Foto: arquivo pessoal)

Por todos os motivos citados anteriormente o porta-voz do MBL Sorocaba – Ítalo Moreira irá notificar a Prefeitura Municipal de Sorocaba através de um ofício e entrara com uma representação no Ministério Publico Estadual pedindo a solução do caso.

Infiltrações em volta de ponto de energia elétrica com risco de curto-circuito (foto:arquivo pessoal)

Fonte: boasaude.com.br/artigos-de-saude/5209/-1/alergia-a-mofo.html