Pará
Em nota, Centros Acadêmicos de enfermagem repudiam pronunciamento do prefeito de Belém/PA

Em resposta a uma convocação feita pela prefeito de Belém os centros acadêmicos de enfermagem divulgaram uma nota de repúdio

20/03/2020 17h48 - Por Paulo Sérgio

Ontem (20), em resposta a uma convocação feita pela prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, os centros acadêmicos de enfermagem das faculdades: CESUPA, ESAMAZ, UNIFAZ, FIBRA E COSMOPOLITA, divulgaram uma nota de repúdio em suas redes sociais.

A convocação do prefeito foi feita no intuito de convidar os alunos do último ano de medicina e de enfermagem a comparecer no núcleo de educação permanente na SESMA como voluntários para trabalhar no combate ao Novo Coronavítus (COVID-19).

Os CA’s ressaltam que há riscos biológicos na ação e que oferecendo apenas um certificado voluntário o prefeito demonstra dessa forma seu descaso com a profissão.

No texto os CA’s explicam: “Aqui a enfermagem é ciência, é política, é luta e muita resistência, não queiram ‘usem’ da frase ‘enfermagem por amor’ porque enfermagem assim como toda profissão deve ser exercida por amor e por VALORIZAÇÃO, esta que lutamos incansavelmente para alcançar. Não somos uma classe que trabalha por caridade, que funciona voluntariamente, mas uma classe à qual atua em uma assistência complexa de embasamento científico e político”.

Ainda em outro trecho, explicam que os CA’s veem a atitude como uma artimanha de poupar gastos, se valendo da “boa ação” e expondo os profissionais e futuro profissionais por um certificado de voluntário. Pedem também piso salarial, de horas trabalhistas, sala de descanso e salubridade no exercício da função.

Confira as notas de repúdio na íntegra:

View this post on Instagram

Partilhando o mesmo princípio os 5 CA ́s de Enfermagem de IES privadas, tornam público o descontentamento com a pronunciação feita por nosso prefeito onde o mesmo convoca acadêmicos e acadêmicas pra serem VOLUNTARIOS na frente de defesa à pandemia COVID-19 e vemos isso como uma artimanha para poupar gastos e garantir mão de obra barata se valendo da “boa ação” e expõem futuros profissionais a risco biológico assegurando apenas um CERTIFICADO DE VOLUNTARIO. A Convocação realizada hoje pelo prefeito, apenas reitera o descaso a irresponsabilidade social que o mesmo têm para com os profissionais e futuros profissionais da área da saúde, uma vez que o mesmo, afim de poupar gastos prefere fantasiar uma boa ação sem se preocupar com os riscos oferecidos e ignora a solicitação do COREN feita neste mesmo mês que traz a realidade de vários enfermeir@s desempregados em busca de oportunidades de inserção no âmbito trabalhista ou seja temos mão de obra, mas não temos porta de entrada da mesma. Aqui a Enfermagem é ciência, é política, é luta e muita resistência, não queiram usem da frase "enfermagem por amor" porque enfermagem assim como toda profissão deve ser exercida com amor e por VALORIZAÇÃO, esta que lutamos incansavelmente para alcançar. Não somos uma classe que trabalha por caridade, que funciona por voluntariedade, mas uma classe à qual atua em uma assistência complexa de embasamento cientifico e político. Precisamos de reconhecimento e respeito das categorias e gestões que nos representa enquanto profissional, além de meios seguros como Equipamentos de proteção individual (EPI ́S) para trabalhar nos três níveis de assistência, para que assim fornecer segurança para os usuários e profissionais do sistema único de saúde (SUS) , precisamos de piso salarial, de horas trabalhistas, sala de descanso, salubridade no exercício de nossa função e principalmente de valorização.

A post shared by CAENF FIBRA (@caenffibra) on

Atitude do prefeito provavelmente foi inspirada em países como a Itália que estão enfrentando um grande surto do novo vírus e tiveram uma grande demanda de mão-de-obra de médicos e enfermeiros. Zenaldo também afirmou hoje (20), que convocará pessoas da área da saúde do último concurso para preencher as vagas que a secretaria de saúde necessita.