São Paulo
Em Mongaguá, nova união aquece a oposição, após desistência de Rafael Redó

Após a cisão da dupla “RR”, composta pelo vereador Rodrigo Biagioni (PSDB), o Rodrigo CasaBranca, e o ex-vereador Rafael Redó (DEM), é anunciada nova união dentro da oposição para derrotar Márcio Cabeça (REPUBLICANOS) nas eleições deste ano.

25/01/2020 13h48 - Por Fernando Martinelli

Rodrigo CasaBranca e Professor Alex anunciam parceria para as eleições de 2020. (Fotos: Rede Sociais)

Após ser anunciado por Rodrigo CasaBranca, em suas redes sociais, que sua parceria com Rafael Redó se encerrou, o vereador Professor Alex (PSB) gravou um vídeo ao vivo em sua rede social ontem, 24, onde comunicou sua nova parceria com Rodrigo para as eleições de 2020.

A união “RR” surgiu em 2018 nas eleições suplementares, que acabou por não ser validada pelo TRE por conta da recondução de Márcio Cabeça à prefeitura, fazendo com que assumisse o cargo de prefeito, após um imbróglio jurídico que se iniciou com a prisão do, até então, prefeito Artur Prócida e o afastamento de Márcio, que era vice-prefeito, o que causou uma grande crise política na cidade.

Durante o comunicado, Alex afirmou que sempre acreditou “que devemos aprender com os erros dos outros, para não repetirmos no futuro tudo àquilo que não deu certo” e declarou que passou a compor a pré-chapa majoritária, onde Rodrigo é pré-candidato a prefeito e Alex é pré-candidato a vice-prefeito.

Rodrigo também publicou em sua rede social um vídeo afirmando que a oposição, pela primeira vez, se uniu para vencer as eleições.

Desde a manifestação de CasaBranca, informando o fim de sua parceria anterior, que afirmou que “novas tratativas serão com certeza realizadas para ocupar em breve o cargo vago de pré-candidato a vice-prefeito”, a expectativa era da união dos dois vereadores. Os grupos de Mongaguá receberam publicações com a sigla “J.P.A”, que significa “juntos podemos acelerar”, fazendo alusão aos bordões utilizados pelos dois pré-candidatos. Ainda, o pré-candidato do PSDB publicou em sua rede social no dia 23 “< + v”, onde os dois símbolos representam os gestos feito pelos grupos de ambos.

Em 2016, quando o cenário das eleições era favorável para a oposição, não houve diálogo e se candidataram três figuras que eram contrárias ao até então prefeito Artur Prócida. Rafael Redó, Renato Donato e Jacó Neto tiveram, respectivamente, 8.560, 4.550 e 4.337 votos cada, totalizando 17.447 votos, enquanto Artur recebeu 11.071 votos. Por este motivo esperava-se que em 2020 não houvesse mais de um candidato a prefeito que atuou na oposição à atual administração.

O MBL Mongaguá conversou por diversas vezes com ambos os pré-candidatos levando a preocupação de que, caso saíssem em chapas separadas, dividiria votos e facilitaria a eleição de Márcio Cabeça, que foi indiciado, em setembro de 2019, pela Polícia Federal, na Operação Prato Feito.

Felizmente, atenderam nosso pedido, assim como o de outras lideranças, e uniram forças e foco em um objetivo comum. Agora, continuaremos em busca da união, não só dos dois pré-candidatos, mas de toda a oposição, para acabar com os projetos de poder particular, que a tanto tempo destroem nossa queria cidade.