Governo » São Paulo » Segurança
Efetivo Policial de Sorocaba se mantém baixo e governador do estado mostra descaso com a população.

A disparidade do discurso durante a campanha eleitoral com as ações do governador eleito do estado de São Paulo, mantém a população de Sorocaba a mercê do caos e da insegurança.

10/01/2020 22h51 - Por João Vitor Braga de Moraes, Ítalo Moreira e Paulo Braga

Governador João Dória durante evento da campanha de 2018 (foto: Psdb.org.br)

O governador do Estado de São Paulo, João Dória, até o momento demostra uma divergência abismal entre seu discurso e a realidade. As promessas de campanha não se mantiveram na cidade de Sorocaba, tendo em vista que seu efetivo policial está muito abaixo do aceitável e deixa a população desprotegida.

Na campanha para o poder executivo do Estado de São Paulo em 2018, o então candidato João Dória, prometeu que iria melhorar o serviço de segurança pública, analisando a realidade dos municípios , mas o que se vê em Sorocaba é o inverso disso. O efetivo policial da cidade está em situação crítica, com problemas até para se registrar um simples BO. Existem várias denúncias de habitantes reclamando da extrema demora para denunciar os crimes ocorridos em seus bairros.

Twitter do governador João Dória, contraditório se analisarmos as recentes ações (ou falta delas- Foto: twitter).

O caso já foi relatado várias vezes pelo porta-voz do MBL Sorocaba, Ítalo Moreira, com várias denúncias e matérias aqui mesmo no MBL News. Devido a essas denúncias e a uma representação feita pelo Mbl Sorocaba (com as assinaturas do Deputado Estadual Arthur do Val e Ítalo Moreira), um inquérito foi aberto pelo Ministério Publico Estadual ,que exigiu abertura de um termo de ajustamento de conduta por parte do governo e este recorreu.

Meme divulgado pelo Mbl Sorocaba no ato do protocolo da representação.(imagem:facebook)

A principal área afetada por esse descaso das autoridades políticas, é a Zona Norte da cidade. O município possuí hoje um efetivo menor do que a 20 anos atrás, mas o problema é agravado na região Norte, pois essa foi a área que teve o maior crescimento populacional, com 300 mil habitantes no ano de 2019. Para se ter ideia, hoje em dia tem apenas um policial para cada três mil habitantes, como consequência da falta de rondas ostensivas nós podemos observar que a região se tornou um estado paralelo regido pelo crime organizado. Isso acontece principalmente em bairros com o da Vila Helena, Habiteto, Vitória Régia e Paineiras, até mesmo pessoas com um fuzil na mão forma fotografadas durante um baile funk que ocorreu de dia, na Vila Helena.

Pessoa ostentando fuzil durante baile funk no Bairro da Vila Helena em Sorocaba em 2019 em plena luz do dia(Foto: Gazeta de Sorocaba)

O problema atinge também a Polícia Civil, que tem uma extrema dificuldade de registrar boletins de ocorrência, esses casos foram denunciados por moradores de Sorocaba, com situações de uma demora de até 12 horas, em que uma pessoa chegou as 23h10min na delegacia e só saiu as 12 horas do dia seguinte, o que é um absurdo para uma cidade do tamanho de Sorocaba com uma população de aproximadamente 700 mil pessoas. Isso acontece, pois segundo o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, a polícia civil da cidade tem um déficit de 60% no seu efetivo.

Até mesmo o ex-prefeito da cidade Antônio Pannunzio reclamou do efetivo policial em sua época de governante. A época ele declarou: “A nossa cidade tem um batalhão com (efetivo) entre 400 e 500 homens. É o mesmo efetivo que tínhamos quando a cidade tinha 385 mil, 400 mil habitantes. Esse efetivo é só para Sorocaba mas já não atende a cidade ainda mais se considerarmos que sempre teremos policiais de férias, afastados por problemas de saúde ou em funções internas e administrativas”. Portanto a preocupação com essa situação calamidade publica é antiga, mas mesmo assim João Dória finge que nada está acontecendo, mesmo isso sendo uma promessa de campanha.

A única esperança da cidade é que o governador aumente o efetivo policial, contra a sua vontade por decisão do Ministério Público, enquanto isso os cidadãos irão continuar a sofrer e sangrar na mão dos criminosos.