Sem Categoria
Diretor da UnB é ameaçado de morte

Cartazes de procurado foram espalhados pela Universidade em retaliação e intimidação ao professor.

10/03/2020 17h27

O diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de Brasília (UnB), Marcos Tadeu Magalhães, comunicou à Polícia Federal (PF) ameaças de morte após ter ordenado a demolição da Pracinha da FAU.

A praça em questão era conhecida por ser um ponto de tráfico de drogas e conversas altas que atrapalhavam as aulas. Mesmo assim, contrariando o desejo de pais e professores, muitos foram contra a atitude do professor, como o Instituto de Arquitetos do Brasil (Departamento do Distrito Federal) declarou:

“A comunidade acadêmica e todas as pessoas ligadas de alguma forma à história da FAU-UnB receberam com tristeza as notícias sobre a ação de demolição realizada na Pracinha da FAU. Episódio ocorrido durante o Carnaval, antes do início das aulas de forma unilateral […] Defendemos o amplo espaço de debate e a liberdade de expressão de toda a comunidade acadêmica. Aconselhamos a atual diretoria da faculdade a convocar a comunidade acadêmica para uma conversa democrática, aberta e honesta para resolver as questões. Temos certeza que com o debate democrático os desafios serão superados e a Pracinha da FAU se reerguerá”.


Quanto aos cartazes de ameaça ao diretor da FAU, esboçam a imagem do professor com os olhos vendados e a palavra “PROCURADO”, além do seguinte texto:

“Diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo: Conhecido por fugir de discussões e ameaçar alunos, seus crimes incluem: degradação de espaço público e espaço coletivo da faculdade, destruição do patrimônio do Centro acadêmico, desconhecimento total de conceitos básicos de urbanismo e patrimônio histórico cultural, além de ameaças de jubilamento a estudantes da comunidade acadêmica”.


Já a UnB declarou:

“A Universidade não compactua com nenhum tipo de prática ilícita e tem trabalhado para o aprimoramento de suas estratégias de segurança. Entre as medidas já colocadas em prática, após aprovação do comitê permanente para a gestão da segurança da UnB, está a instalação de 350 câmeras de segurança e a colocação de cadeiras elevadas nos estacionamentos.”


Fonte: Metrópoles


Nota do Autor:

Aparentemente, para aqueles que estão há oito anos na faculdade fumando maconha e gastando dinheiro público, destruir a pracinha do tráfico e da fanfarra é crime contra o patrimônio histórico-cultural…

Editor-Chefe do MBL News Brasília | Revisor de Textos (chato) profissional | Graduado em Letras (UnB) (não maconheiro) |