Sem Categoria
Custo da festa de Réveillon em Brasília é 3 vezes maior do que o inicial

Custo total das festas foram de R$ 2,48 milhões aos cofres públicos

07/01/2020 10h10

O evento de virada de ano em Brasília, realizado semana passada, ficou 3 vezes mais caro do que as projeções iniciais. A constatação só veio à tona por reportagem exibida no canal Rede Globo, na última segunda-feira (6). Isso ocorreu porque os gastos reais da festa só foram publicados no Diário Oficial depois da virada de ano: R$ 2,48 milhões – R$ 1,61 milhão na Esplanada e R$ 864,4 mil na Prainha.

A licitação para as festas de Réveillon – na Esplanada dos Ministérios e na Prainha – foi aberta no dia 9 de dezembro. Ao todo, 22 empresas concorreram ao processo para fornecer 112 itens como estruturas de palco e equipamentos de luz e de som.

Inicialmente, o governo estimou gastar R$ 1,43 milhão, mas o valor caiu para R$ 798 mil após a realização do pregão. No entanto, o GDF cancelou a licitação para “atender a necessidades de correção do projeto”. A justificativa foi publicada no Diário Oficial do DF em 24 de dezembro.

No dia seguinte, a Secretaria de Cultura deu outra explicação. Por meio de nota, a pasta disse que o pregão teve “baixa adesão”, mesmo com 22 empresas na licitação.

Sem licitação para o Réveillon, alguns deputados distritais ofereceram emendas parlamentares para custear as despesas da infraestrutura da virada e, então, foi firmado um termo de fomento – modalidade de contratação que permite fazer parceria com Organizações da Sociedade Civil em projetos de interesse público sem a necessidade de um processo de licitação.

Como permite este tipo de acordo, os próprios deputados escolheram as duas instituições que receberam o dinheiro para executar a montagem da festa da virada.

Na noite desta segunda-feira (6), o secretário de Cultura, Bartolomeu Rodrigues, argumentou que o valor da festa ficou mais alto porque os custos estavam “subestimados” e negou que tenha havido superfaturamento. Ainda na nota, a pasta informou que a festa custaria R$ 905 mil.

Fonte: G1.

Estudante de Engenharia Civil, corintiano, cristão SUD, um nerd apaixonado por cozinha, humor e muito conhecimento. Membro do MBL Brasília e um preguiçoso redator do MBL NEWS