Goiás
Criança vítima de racismo em Anápolis (GO) ganha homenagem do Governo Federal

Ana Luísa Cardoso Silva, de 9 anos, ouviu de uma mulher que não existia princesa negra. A ministra Damares promoveu evento para ela.

21/01/2020 17h43

Ana Luísa abraça a ministra Damares durante a festa de princesa Frederico Brasil/Estadão

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos recebeu nesta segunda-feira (20) a estudante Ana Luísa Cardoso Silva, de 9 anos, que foi vítima de racismo, com direito a uma festa de princesa. Em 1° de janeiro deste ano, enquanto brincava no Parque Ipiranga, em Anápolis (GO), ela ouviu de uma mulher que “não existe princesa preta”.

O evento foi promovido pela própria ministra. “Racismo, para mim, é doença! Tem que ser tratado e tem que ir para a cadeia. Racismo é passível de pena de prisão, reclusão, e não vamos deixar isso continuar acontecendo no Brasil”, disse a ministra Damares Alves.

A ministra salientou que quer encontrar a responsável pelas palavras que ofenderam Ana Luísa. “Ninguém mais nesta nação vai discriminar uma criança negra, indígena, oriental, branca, cigana, muçulmana, nordestina, nenhuma. Chega! É hora de dizer basta, mas não vamos dizer esse basta brigando, gritando, vamos dizer com amor. Este é o governo da inclusão”, completou.

A solenidade foi transmitida pelas redes sociais da ministra Damares, que também fez questão de registrar as lembrancinhas e presentes comprados para receber a menina.

A titular da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR), Sandra Terena, lembrou que “histórias são referências norteadoras para crianças, uma vez que a construção de sua identidade ainda está em formação. Contudo, assim como nos contos, temos a figura do antagonista. A diminuição da dignidade das crianças, os abusos, a violência doméstica, a discriminação por cor ou etnia são exemplos disso”.

O titular da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA), Maurício Cunha, afirmou que “o grau de desenvolvimento de uma sociedade é medido pela maneira com que ela trata suas crianças. Toda criança brasileira se reveste hoje, simbolicamente representadas por nossa princesa Ana Luísa, de prioridade absoluta no Brasil”.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.