Coronavírus » Rio Grande do Sul
COVID-19: Prefeituras no RS adotam barricadas e toques de recolher para conter epidemia

Medidas foram contestadas pelo MP e pelo Governo estadual, que já decretou calamidade pública.

21/03/2020 09h43 - Por Camila Greff

Em uma tentativa de conter o avanço da pandemia de coronavírus que já infectou 49 pessoas no Rio Grande do Sul, algumas Prefeituras recorreram a medidas como barricadas para conter o acesso de visitantes e toques de recolher. O Governo do RS, embora tenha decretado estado de calamidade pública, critica as medidas, e o Ministério Público alega que elas são ilegais.

Um decreto do prefeito de Capão da Canoa, Amauri Magnus Germano (PTB), determinou o fechamento de 10 dos 13 acessos para a cidade que mais recebe turistas do Litoral Norte. O objetivo seria controlar a entrada de pessoas como medida preventiva de redução do contágio. Foram montadas barricadas com pedras em quase todos os acessos, e a Prefeitura está monitorando quem chega, buscando procedência, se tem imóvel no balneário e por que está na cidade.

Já em Taquara, no Vale do Paranhana, o toque de recolher foi a medida escolhida pelo prefeito da cidade, Tito Livio Jaeger Filho. A Prefeitura determinou o confinamento domiciliar obrigatório em todo o território do município, ficando terminantemente proibida a circulação de pessoas, com exceção de quem precisa acessar serviços essenciais de comprovada necessidade ou urgência. O toque de recolher permite a apreensão de veículos e condução forçada de pessoas, pelas autoridades municipais.

Em Campo Bom, no Vale dos Sinos, que registrou dois casos positivos para COVID-19, os bloqueios nos acessos á cidade começam na manhã deste sábado (21). Nos termos do decreto do prefeito Luciano Orsi, apenas duas ruas ficarão com acesso. A ideia é que só entre na cidade carros emplacados em Campo Bom ou que comprovem residência ou trabalho na cidade. Veículos com placas do Mercosul serão fiscalizados usando leitor digital para identificar o local do emplacamento.

Esteio proibiu a circulação de idosos a partir deste sábado. As pessoas com mais de 60 anos só vão poder sair para se alimentar, ir a bancos e tratar de cuidados com a saúde. Torres também determinou fechamento de acessos. Em Imbé, o prefeito Pierre Emerim (PT) também pede que as pessoas não vão à praia.

Fontes: Jornal do Comércio, GaúchaZH e Jornal NH.