Pará
COVID-19: Governo do Pará reafirma que manterá a quarentena e anuncia outras medidas

Medidas econômicas, investimento na saúde pública e repasse de dinheiro para as prefeituras do estado, devem ser aplicadas

26/03/2020 14h20

O Governo do Pará tem tomado medidas para combater a propagação do novo coronavírus, COVID-19, como manter a quarentena indo na contramão do proposto pelo governo federal, 25 dos 27 governadores também manterão o isolamento, porém algumas dessas medidas poderão ter sérias consequências econômicas e sociais, estima-se que entre os meses de abril e setembro haverá um déficit de cerca de R$ 2,5 bilhões em arrecadações.

Diante disso algumas medidas têm sido aplicadas, entre elas se destacam: medidas econômicas, investimento na saúde pública e repasse de dinheiro para as prefeituras do estado.

Uma das medidas econômicas adotadas é a redução de 17% a 3% no ICMS de itens utilizados na prevenção ao novo coronavírus, como álcool em gel, luvas e máscaras, tal como itens da cesta básica para que haja redução no valor da mesma.

Outra medida é o programa de incentivo a micro e pequenos empreendedores, empresários individuais e pessoas físicas, por meio de oferecimento de crédito, com 0,2% de juros ao mês e até 90 dias de carência. O valor para cada empréstimo é de até R$15 mil e o serviço já está funcionando.

 No que tange a medidas em relação a saúde pública, houve o anuncio da transferência de R$17,2 milhões para as prefeituras do Estado. A verba foi repassada pelo Governo Federal. Também haverá liberação de R$8 milhões em recursos do tesouro estadual, de acordo com decreto. “(Os recursos) são para que os municípios estejam preparados para os casos virais respiratórios e que possam atender a população”, afirmou Helder Barbalho (MDB), governador do estado.  Além disso, de acordo com o governo estadual, novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) devem ser entregues nos próximos meses.

Até o atual momento a realidade é que apenas 23 leitos estão disponíveis em todo o Estado do Pará. Segundo o governo paraense em 60 dias os hospitais de Itaituba, Tapajós, Castelo dos Sonhos (em Altamira), e a primeira etapa do Hospital Regional de Castanhal devem ser concluídas.

Além disso dentro do prazo de 75 dias devem ser entregues os três andares do Hospital de Castanhal, com 100 novos leitos e, em 70, os dois últimos andares do Hospital Abelardo Santos, localizado em Icoaraci, distrito de Belém, com mais cem novos leitos, e nos próximos 15 dias devem iniciar as obras de ampliação do anexo do Hospital Ophir Loyola, com novos 30 leitos.

Ademais, após o redirecionamento das emendas impositivas do estado e da bancada federal cerca de R$ 246 milhões deveram ser investidos no enfretamento ao novo vírus, como na construção de mais 720 leitos no Pará.

Outra medida que o governo tomou foi de entregar cestas básicas para as crianças da rede estadual de ensino, assim os estudantes podem ficar em casa sem comprometimento da alimentação.

Até o momento no Pará há 13 casos confirmados e 60 casos suspeitos em análises.