Pará
Conversa vazada pode revelar possível irregularidade em importante obra no Pará

De acordo com as informações, a obra pode ter sido alvo de fraude durante sua reconstrução

03/02/2020 18h48

Uma imagem obtida por meio de uma conversa, que teria ocorrido por um aplicativo de mensagens, indica uma possível ilegalidade na reconstrução de uma parte da Ponte do Moju, que compõe o complexo da Alça Viária no estado do Pará. A ponte foi reaberta para funcionamento nesta última sexta-feira, 31 de janeiro, pelo governador do estado, Helder Barbalho.

Segundo os dados concedidos pelo governo do estado, a empresa Biopalma, responsável pela carga que era transportada quando a ponte foi destruída em abril de 2019, repassou um total de R$ 128 milhões de reais para o reparo da edificação.

Entretanto, durante uma conversa, que vazou, em um grupo no aplicativo WhatsApp, um dos dirigentes do projeto, Remo Magalhães de Souza, relata que uma redução de gastos teria ocorrido durante a execução do projeto, ou seja, indicando que o projeto feito inicialmente para a reconstrução da ponte foi alterado.

Na mesma conversa, ele ainda declara estar apreensivo quanto a segurança e durabilidade da edificação, pois o mesmo teria sofrido uma pressão para que o projeto fosse feito visando a redução de custos. E finaliza afirmando que teria se retirado do projeto por discordar das mudanças impostas no projeto.

Fonte: Parawebnews