Rio Grande do Sul
Câmara de Montenegro abre processo de impeachment contra prefeito

Kadu Müller já foi alvo de cinco pedidos de cassação. Os de nº 4 e 5 estavam em pauta na sessão da Câmara.

09/02/2020 23h00 - Por Camila Greff

Durante a primeira sessão ordinária de 2020 da Câmara Municipal de Montenegro/RS, realizada na última quinta-feira (06), foram apreciados os pedidos de impeachment números 04 e 05 contra o prefeito Kadu Müller (PP). A primeira denúncia foi apresentada por João Machado Santos em 20 de dezembro, apontando descumprimento do Plano Diretor do Município. A segunda foi apresentada um dia antes de sessão (05), por Letícia da Silva, denunciando irregularidades em contrato sobre recolhimento de lixo.

Por 05 votos a 04, a denúncia referente à reestruturação do Plano Diretor foi rejeitada, e a denúncia sobre irregularidade no contrato envolvendo a empresa Komac Rental foi admitida. Os vereadores contrários a ambos os pedidos foram Josi Paz, Rose Almeida, Joel Kerber e Talis Ferreira; os votos favoráveis à admissibilidade foram de Valdeci Alves de Castro, Erico Velten, Felipe Kinn da Silva e Cristiano Braatz. O vereador Juarez da Silva rejeitou a primeira denúncia e admitiu a segunda.

Cabe lembrar que a denúncia referente ao contrato de recolhimento de lixo não é recente. O terceiro pedido de impeachment do prefeito de Montenegro já versou sobre esse tema. Contudo, não chegou a ir ao plenário da Casa, pois o autor retirou a denúncia na véspera, por insuficiência de provas. O advogado da autora do 5º pedido, Alexandre Alves, informou que dessa vez foram reunidos mais elementos contra Kadu Müller.

Por nota, o prefeito afirmou que seguirá com trabalhos e projetos de sua gestão, e apresentará as defesas necessárias. “Lamento esse movimento que representa claramente um ato político que objetiva a desconstrução. O município paga um preço alto por esse tipo de atitude promovida por pessoas que têm interesses escusos à Administração Pública de Montenegro”, disse Kadu Müller.