fbpx
Alego » Goiás » Reforma da Previdência
Caiado incluirá municípios na Reforma da Previdência estadual

Goiás será o primeiro estado a fazer Reforma da Previdência estadual, cujo texto base será de acordo com a reforma federal recém aprovado no senado. Segundo o governador de Goiás, haverá “simetria entre Brasil, Goiás e municípios”.

23/10/2019 09h56

Governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) entre o vice-governador Lincoln Tejota (PROS) e o presidente da Alego Lissauer Vieira (PSB) durante reunião desta terça-feira (22) (Foto: Wildes Barbosa/ O Popular)

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) se reuniu nesta terça-feira (22), com prefeitos de municípios goianos para tratar da inclusão dos municípios na Reforma da Previdência Estadual. A necessidade de incluir as cidades no texto foi consenso entre os presentes. O governador afirmou que com o aval dos prefeitos enviará a matéria à Assembleia legislativa de Goiás (Alego), com a inclusão dos municípios, sem que os prefeitos precisem votar a adesão nas câmaras municipais. A matéria deve ser enviada à Alego até à próxima segunda-feira (28). Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), serão necessários 25 votos, dos 41 possíveis, na Alego.

Como explicamos aqui, o Estado tem 67 mil inativos contra cerca de 63 mil ativos. “Já passamos os ativos. A regra era para ser cinco ativos para sustentar um aposentado. Não tem como o Estado sobreviver. Todo fim de mês passa R$ 230 milhões para folha de pagamento e não temos condições de fazer investimentos”, explicitou o governador. Para pagar a folha, segundo ele, Goiás tem aumentado o endividamento, pois a arrecadação não paga servidor e aposentado. A tributação salarial da previdência de Goiás já é uma das maiores do País: 14,25%. A expectativa é de que, com a reforma, em dez anos sejam economizados R$ 6 billhões, mas ainda com déficit, porém bem menor do que se não houver.

O prefeito de Bonfinópolis, Kelton Pinheiro, reforçou o desejo de incluir as cidades na reforma. “Estamos lá na ponta, somos o início de todos os problemas. Essa reforma é muito desgastante, então se pudermos reduzir essas 246 discussões em uma só seria uma grande vantagem”, disse.

O texto da reforma estadual será semelhante ao discutido no Congresso Nacional, recém aprovado no senado. “Não podemos desenhar 27 textos no Brasil. Estamos fazendo aquilo que vem sendo modulado em Brasília, mas incluindo prefeitos. Teremos uma simetria entre Brasil, Goiás e municípios”, afirmou Caiado.

Também esteve no encontro o presidente da Assembleia, Lissauer Vieira (PSB). Segundo ele, se nada for feito, Goiás não conseguirá pagar os funcionários. “A Assembleia não cometerá a mesma irresponsabilidade que o Congresso teve ao não incluir municípios. Assim que a matéria chegar ao Poder Legislativo, podem ter certeza que, dentro dos trâmites legais, a decisão da maioria será acatada. E pelo que temos conversado, percebemos que é necessária”, finalizou.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.