Goiás
Caiado busca o Ministério de Minas e Energia para solucionar a crise com Enel Goiás

Após reunião com Caiado, Ministério de Minas e Energia deve chamar Enel para resolver crise energética em Goiás

24/01/2020 08h32

O governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) esteve, na noite desta quarta-feira (22), no Ministério de Minas e Energia (MME), em Brasília, em busca de solução para o que foi definido pelo secretário de Desenvolvimento e Inovação, Adriano da Rocha Lima, como “uma calamidade energética” no estado de Goiás.

Ele foi acompanhado pelo presidente da Assembléia Legislativa de Goiás (Alego), o deputado Lissauer Vieira (PSB), pelo desembargador Walter Carlos Lemes (Tribunal de Justiça) e Joaquim Alves de Castro Neto (Tribunal de Contas dos Municípios); pelo procurador-geral de Justiça, Aylton Vechi; e pelo defensor público-geral do Estado, Domilson Rabelo. A secretária de Economia de Goiás, Cristiane Schmidt, e a procuradora-geral do Estado, Juliana Diniz, também participaram da reunião.

Caiado buscou apoio da ministra Marisete Pereira, para colocar fim à crise energética em Goiás, pela má prestação de serviços por parte da Enel Distribuição. “A ministra pediu apenas um prazo para nos convocar novamente e nos dar uma alternativa para esse quadro que vem se evoluindo, um quadro danoso para a economia do Estado”, destacou o governador, ao final da reunião. Ele ressaltou que a ministra e os técnicos do Ministério se sensibilizaram com os relatos feitos pelos representantes goianos e que perceberam o quanto Goiás necessita de uma resposta o mais rápido possível.

Uma das empresas interessadas em assumir a antiga Celg Distribuição em Goiás é a EDP, uma companhia de origem portuguesa, que tem mais de 20 anos de operação no Brasil e atua na distribuição de energia elétrica em São Paulo e Espírito Santo.

O Ministério de Minas e energia informou, via assessoria de comunicação, que ainda “não há previsão” de quando ocorrerá a nova reunião. A pasta também afirmou que os tópicos tratados no encontro foram relativos a “qualidade da prestação de serviço da Enel em Goiás e o plano de investimentos programados pela empresa”. Por fim, acrescentou que “o Ministério de Minas energia e a Aneel continuar acompanhando o assunto”.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.