Lava Jato » São Paulo
Bruno Covas nomeia investigado pela Lava Jato para cargo em hospital

A nomeação será publicada após o recesso de janeiro

22/01/2020 19h18 - Por Cynthia Capucho

Cândido Vaccarezza – Foto: Veja

Nos últimos dias, o prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vem nos demonstrando sua falta de bom senso e de limites que literalmente beira o absurdo. Dessa vez, o novo disparate é a nomeação inadmissível de um alvo da Lava Jato. Covas decidiu nomear como diretor do Hospital Municipal Ignacio Proença de Gouvêa (Mooca) o ex-petista Cândido Vaccarezza.

Além de membro do Partido dos Trabalhadores (PT), Vaccarezza também foi duas vezes deputado estadual em São Paulo e duas vezes deputado federal. Tornou-se líder do PT e do governo do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff em seu primeiro mandato.

Já em 2017, as coisas ficaram sombrias para Vaccarezza e ele virou alvo da Operação Abate (uma das fases da Operação Lava Jato) e foi preso em São Paulo por recebimento de propina oriunda de contratos da Petrobras. Segundo o MPF, Cândido Vaccarezza recebeu a maior parte de um total de propina que soma US$ 500 mil.

Mesmo com um currículo sujo e cheio de ilegalidades, a nomeação de Vaccarezza para o cargo de diretor do hospital será publicada após o recesso de janeiro.

E com essa nomeação extremamente vergonhosa, Bruno Covas ainda sonha com sua reeleição para prefeitura de São Paulo.

Revisores: Lucas Mehero

Fonte: O Antagonista e G1.