Bahia
Bolsonaro deixa Salvador e retorna a Brasília para passar Ano Novo no Alvorada

Presidente viajou para a Base de Aratu (BA) na semana passada, e previsão inicial era ele retornar somente no dia 5. Primeira-dama não viajou com Bolsonaro em razão de cirurgia.

31/12/2019 15h23

O presidente Jair Bolsonaro deixou a Base Naval de Aratu, unidade da Marinha do Brasil situada em São Tomé de Paripe, no subúrbio ferroviário de Salvador e retornou a Brasília, na manhã desta terça-feira (31). Segundo informações da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, ele deve passar o Ano Novo na residência oficial do Palácio da Alvorada.
O presidente deixou a Base Naval de Aratu por volta das 8h30, em um helicóptero e foi para o Aeroporto de Salvador, onde embarcou as 9h05.

Bolsonaro viajou para a Base Naval de Aratu (BA) no último dia 27, e a previsão inicial era ele retornar a Brasília somente em 5 de janeiro.
Conforme a assessoria, o presidente decidiu antecipar o retorno para passar o Ano Novo com a família. Isso porque a primeira-dama Michelle Bolsonaro não viajou com o presidente, somente a filha deles, Laura Bolsonaro, de 9 anos.
Na semana passada, Bolsonaro informou que ela não iria em razão de uma cirurgia. Segundo a assessoria da Presidência, a cirurgia ainda não foi realizada, e Michelle não será submetida a procedimento antes do réveillon.

Dia em Salvador

Durante o recesso de fim de ano, Bolsonaro pescou um peixe, no sábado (28), na praia de Inema, que fica na Base Naval de Aratu. Na segunda-feira (30), o presidente visitou alguns pontos turísticos, entre os quais o Farol da Barra, um dos principais da capital.
No local, cumprimentou apoiadores e tirou fotos com alguns deles.

Base de Aratu

A base de Aratu fica na península do Paripe, em Salvador, e funciona como apoio logístico para equipes das três Forças Armadas que atuem nas águas. A construção completou 50 anos em 2019.
O local é vigiado constantemente pela Marinha, e as instalações de lazer incluem uma casa colonial na praia privativa de Inema.
Além da função estratégica, Aratu foi escolhida como local de refúgio e descanso pelos últimos cinco presidentes do Brasil.

Juazeirense, estudante de psicologia, apaixonada pelo liberalismo econômico e pelo objetivismo.