fbpx
Brasília » Política
Atendimento VIP? Justiça investiga suborno de Luiz Estevão à agente penitenciário

Luiz Estevão teria entregue terreno para o agente em troca de regalias.

28/09/2019 13h10 - Por Jonas Fernandes

A Justiça do Distrito Federal revelou o processo que acusa o ex-senador condenado Luiz Estevão de corromper 4 agentes da Papuda em troca de regalias nessa sexta-feira (27). Para um deles, o empresário é suspeito de “presenteá-lo” com um terreno de 18 hectares no Valparaíso; o processo ocorria desde 2017 em sigilo.

A partir da quebra do sigilo, ficou evidente que o agente penitenciário fez acordo de delação premiada com o Ministério Público, mas seu conteúdo bem como a identidade do agente não foram divulgados.

A defesa de Luiz Estevão afirma que, ao contrário de um suborno, a entrega do terreno se trata de um “ato de gratidão” sem a intenção de “subversão da ordem legal no interior do presídio”.

De acordo com o texto, os agentes permitiam “incontáveis visitas de advogados em horários fora do expediente e sem passar pelas necessárias verificações de segurança, o que viabilizava a entrada de documentos e alimentos não autorizados”.

O magistrado responsável pelo caso, Carlos Alberto Silveira, solicitou também informações sobre uma advogada de Luiz Estevão. Segundo o juiz, ela passou a defender o agente penitenciário em pouco menos de dois meses depois de uma visita que realizou ao empresário, gerando conflito de interesses; assim, Silveira deseja saber se a advogada ainda representa Estevão, mesmo que extrajudicialmente.

O juiz demandou os laudos periciais da Corregedoria da Policia Civil dos objetos apreendidos durante a ação de busca e apreensão realizada em junho de 2018 na Operação Bastilha. Ele também autorizou a abertura de um cofre confiscado na casa do agente penitenciário que recebeu o terreno; caso não haja a entrega da senha, está autorizada a abertura à força, mesmo que produza dano irreparável ao objeto.


Fonte: G1.